Translate

7 de agosto de 2013

Desportiva brasileiro série B 1994,o ano em que a Desportiva foi garfada covardemente

O ano de 94 guarda uma das maiores manchas na honra do futebol brasileiro o ano em que o dinheiro falou mais alto que o caráter e honra, dentro de campo  a Desportiva fez um papel incrível e foi vencendo seus rivais um a um derrubando quem entrasse na frente da locomotiva, o elenco era muito forte, a Desportiva vinha de mais um título estadual que foi disputado naquele 1º semestre de 1994 , Dirley, Silvério, Welder, Mário Matador, Alex Santana, Jeancarlos, Morelato, Arildo Peçanha eram nomes certos no time titular da Tiva naquele brasileiro.

O regulamento da 1ª fase da série B seria o seguinte 24 equipes divididas em grupos de 6 cada jogando entre si dentro do grupo em turno e returno, os 4 primeiros passavam a fase seguinte.
Nesta fase a Desportiva caiu no grupo B com , Americano-RJ, Santa Cruz-PE, Sergipe-SE, Democrata-MG e CRB-AL.
A estréia foi datada em 7 de Agosto, em Aracaju derrota por 3x1 para o Sergipe, essa derrota nem deu tempo de abater o elenco grená que apenas 3 dias depois foi até Alagoas derrotar o CRB por 1x0.
Em mais uma partida fora de casa a 3ª em um intervalo de 9 dias a Desportiva mostrava sua força empatando com o Santa Cruz em pleno Arruda, todos sabemos como é difícil jogar lá dentro a torcida sempre comparece e joga junto com o time não importa a divisão, foi um jogaço, empate em 2x2 voltando pra casa com 3 pontos dos  6 disputados fora de casa (vitória valia 2 pontos e não 3).
Na primeira partida diante de sua torcida 21 de Agosto 4 rodadas após o início do brasileiro a Tiva voltou a enfrentar o Sergipe, que foi a primeira equipe que a Desportiva enfrentou pela 1ª divisão em campeonatos brasileiros em 25 de Agosto de 1973, placar de 2x0 para a Tiva gols de Zezinho Bugre e Juci. Mais uma vez deu Desportiva desta vez com 1x0 no placar. 3 dias depois  no Araripe voltamos a vencer novamente por 1x0 o CRB.
Voltando a enfrentar o Santa Cruz vencemos por 2x1 dentro de casa, o time seguia 100% dentro do Araripe até o 0x0 diante do Democrata.
Jogando em Campos no Rio contra o Americano, Mário Matador guardou o dele na vitória de 1x0 justamente quando renovou seu contrato com a equipe grená.

4 dias depois o Americano devolvia o placar de 1x0 dentro de nossa casa a Tiva já cumpria tabela nessa partida pois estava classificada por antecedência, em Governador Valadares novo 0x0 com o Democrata a equipe mineira foi a única que não foi derrota pela Tiva nessa fase dois empates por 0x0, com isso a Desportiva Ferroviária fechava a 1ª fase com 13 pontos  em 10 jogos 5 vitórias, 3 empates e 2 derrotas marcando 9 gols sofrendo 7 e líder desta chave.


2ª FASE

Nesta fase o grupo E foi nosso destino ao nosso lado América-RN, Moto Club-MA e um velho conhecido o Santa Cruz-PE. A disputa seria em turno e returno mas a penas o líder do grupo passaria a diante.
Como na 1ª fase fomos jogar a 1ª partida fora de casa, diante do América no Machadão em Natal e voltamos com 2 pontos garantidos pela vitória por 1x0 gol de Jeancarlos após um passe de meia bicicleta de Alex Santana, o placar não foi justo devido a tantos gols que a equipe grená perdeu, esse que já era um problema nesta competição haja visto que a equipe criava muito mas não marcava com tanta frequência. No Maranhão empate sem gols com o Moto Club.
No Arruda a torcida do Santa Cruz mais uma vez passaria sofrimento nos pés grenás, mesmo com Jamelli e Guilherme emprestados pelo São Paulo F.C a torcida do  Santa viu a Desportiva soberana em campo vencer por 3x1 com direito a aplausos da torcida do Santa, " O Jornal do Commércio"  isso mesmo com dois "emes" estampou nas capas o seguinte texto "Santa é humilhado pela Desportiva".
Na partida no Araripe empate em 0x0 com o mesmo Santa Cruz, desta vez o placar passou em branco, sem show e sem humilhação da Tiva no Santa.
Desportiva 3x0 Moto Club

Em uma das melhores apresentações em 94 a Desportiva atropelou o Moto Club sem piedade, enfiou 3x0 eliminando o mesmo da competição, porém vendo o resultado pode se pensar que a partida foi fácil mas não foi o Moto se jogou ao ataque a partida era lá e cá com ambas as equipes procurando a vitória, o placar foi aberto pela Tiva quando Welder recebeu ótimo passe de Morelato  na pequena área em diagonal chutou no canto esquerdo, já na segunda etapa  após um bate rebate dentro da pequena área em que a bola foi parar no pé de Welder que nesta partida estava inspiradíssimo,  Mário Matador chegou só pra conferir e chutou a bola mais pro fundo da rede ainda, o 2x0 dava a tranquilidade para o time capixaba e deixava o Moto Club desesperado praticamente eliminado, para fechar o placar ele Welder que infernizou os maranhenses só perdeu a disputa de bola com a zaga dentro da área por que o zagueiro usou a mão pra tirar vantagem, Léo Feldiman viu e marcou o penal, Welder foi lá em ensacolou goleiro nem saiu na foto bola para um lado goleiro para o outro, 3x0 deixava a Tiva a um empate da semi final...
                                                       Desportiva 1x0 América-RN


A partida que decidira a classificação grená era contra o América-RN um confronto direto dentro do Araripe, a Desportiva com 8 pontos jogava pelo empate pois o time potiguar tinha 7 pontos e somente a vitória classificaria eles a fase seguinte, mesmo com o time podendo empatar Arnaldo Traspadini não queria dar sopa para o azar e botou sua equipe pra cima, se bem que aquela Desportiva não conhecia a palavra retranca, um time que sempre procurava o gol não importando o adversário nem a situação da partida, e se não fosse o goleiro Eugênio do América o 1º tempo já terminava com a Tiva vencendo por pelo ao menos 2 gols de diferença. Veio o 2º tempo e Welder como sempre estava terrível, terrível para os zagueiros adversários, e após uma bola sobrar para ele vem o improviso do craque, o zagueiro veio seco e levou um chapéu lindo que Welder concluiu com um voleio a bola bate no travessão e na sobra Jeancarlos empurra com a cabeça 1x0 Desportiva aos 2 minutos do 2º tempo, depois desse gol as chances fora aparecendo mas Eugênio estava muito inspirado e evitou uma goleada histórica, fim de papo e a Desportiva estava a um passo de voltar a elite do futebol brasileiro enfrentaríamos o Goiás em duas partidas no mata mata.
O time goiano que é odiado por 11 entre 10 grenás que viram ou até mesmo conhecem essa história de 1994. Nossa campanha nesta fase foi a seguinte 10 pontos em 6 partidas, 4 vitórias e 2 empates 8 gols marcados contra apena 1 sofrido.
No vídeos lances das duas partidas da semi final

A PARTIDA DE IDA

DESPORTIVA 2X0 Goiás
No dia 13 de novembro estádio Engenheiro Alencar de Araripe, lotado, abarrotado de torcedores oque se viu foi um massacre grená dentro de campo a Desportiva dominava e acuava o time adversário, criava jogadas, marcava e abafava tudo que poderia criar risco a nossa defesa. O primeiro gol saiu de pênalti após Jeancarlos ser derrubado na área Welder bateu e marcou 1x0 Tiva, não parou por ai a Desportiva perdia muitos gols, criava o tempo inteiro o 2º gol foi marcado por Mário Matador o 2x0 era muito bom em relação a confronto direto no mata mata porém era muito pouco em relação ao que a equipe criava dentro de campo, o placar final foi 2x0 para a Desportiva, estávamos a um passo do paraíso, podendo perder por até 1x0 na partida de volta em Goiânia.

A PARTIDA DE VOLTA

Goiás 2x0 DESPORTIVA
Dia 20 de Novembro estádio Serra Dourada, na semana que antecedeu esta partida começam a ocorrer fatos estranhos em relação esta partida decisiva para nossa locomotiva, João Linhares então vice presidente da Tiva em entrevista diz que um conselheiro da Tiva recebeu uma ligação de um dos chefes da máfia da loteria, dizendo que em troca de uma quantia em dinheiro garantiria a vaga da Desportiva na 1ª divisão, os dirigentes grenás não aceitaram participar desta desonestidade e foram para a partida de volta sem se corromper mantendo a hombridade de uma equipe que não se vendeu para a máfia da loteria (durante anos era normal equipes e jogadores e dirigentes se venderem por dinheiro, não mudou muito na verdade hoje). Oque incomodou bastante  também foi Marcus Vicente presidente da Federação Futebol do Espírito Santo(FES) não ficar ao lado da delegação capixaba nesta partida, ficou do lado rival, ao lado de Maguito Vilela ex-governador e ex-presidente da Federação de Goiás, e nem ao menos cumprimentou os grenás antes da partida. Outra coisa também foram as ligações para o hotel da Desportiva com várias ameaças, mas esta parte das ameaças são coisas do futebol, o suborno do árbitro que foi vergonhoso.

Na partida o time goiano abriu o placar ainda no 1º tempo, este placar ainda dava a vaga a Desportiva, que  mesmo com um gol antes dos 20 minutos o time não se apavorou e controlava bem a partida o Goiás não conseguiu em momento algum sufocar a nossa equipe. Na segunda etapa Romeu foi expulso aos 20 minutos de jogo depois de entrada desleal em Welder a Tiva com um a mais parecia ainda mais próxima da vaga na série A, eis que por volta dos 30 minutos Edmundo Lima Filho marcou um pênalte no mínimo duvidoso, a jogada se desenrolou quando o goleiro goiano rifou a bola pra frente  na disputa de bola Arildo Peçanha sofreu a falta na disputa de cabeça porém Edmundo nada marcou e deixou a jogada seguir Dill saiu cara a cara com Dirley, o zagueiro Rocha chegou junto disputando a jogada porém Dill foi mais rápido que ambos e tocou por cima de Dirley trombando os 3 uma jogada totalmente normal Silvério tirava a bola a menos de 1 metro da linha do gol quando se ouve um apito...era o árbitro marcando pênalte, e já saiu gritando com os jogadores grenás  
 "Está marcado já eras se vier reclamar boto na rua." Esta não foi a única ação ríspida de Edmundo nesta partida, a todo momento ele tentava intimidar os grenás quando marcava faltas contra a Tiva ameaçava expulsar por qualquer reclamação, Silvério afirma com todas as letras que ele estava mal intencionado desde o início da partida! Baltazar marcou o 2x0 no placar, a Desportiva ainda se lançou em busca do gol que daria novamente a vaga na elite porém não conseguiu e ainda viu a partida ser encerrada aos 44 minutos de jogo, um segundo tempo em que houve expulsão, pênalti e além de não dar nada de acréscimos encerrou 1 minuto antes do tempo regulamentar. Acabava ali o sonho de voltar a 1ª divisão, e dali em diante o futebol capixaba entrou em coma justamente no mesmo período de presidência de Marcus Vicente, não é mera coincidência esses fracassos acumulados de 1994 até os dias atuais.





No vídeo acima uma matéria com João Linhares e Silvério sobre aquela partida fatídica.



Welder craque de bola também deu seu relato  ao blog abaixo as falas do próprio jogador


Desportiva Ferroviária Blog:

Queria que você relatasse oque mais te marcou naquele ano de 1994

Welder:


Na verdade foram momentos distintos. A ascensão do nosso time no campeonato foi para mim de grande emoção, pois em um campeonato tão difícil como a série B.

Chegamos a semi final sem nenhuma dúvida do nosso potencial e tenho certeza que se nos deixasse-nos ir a final seriamos campeões...Mas a covardia que fizeram conosco sem sombra de dúvidas foi minha maior decepção em toda minha carreira. Naquele jogo mudaram o destino de vida profissional de todos nós jogadores. Mudaram a história do futebol capixaba, dos torcedores capixabas. Edmundo Lima Filho, não esqueço o nome nem a fisionomia do árbitro do jogo. Consegui dizer umas verdades pra ele pessoalmente em Portugal quando encontrei ele após uma final de Beach Soccer que ele apitou em Figueira da Foz. Mas ele não foi o único culpado, nossa Federação foi omissa diante da situação, por isso o futebol capixaba está  como está. A sensação de impotência dentro de campo perante a situação e o árbitro foi imensa e no vestiário fui tomado por um sentimento que até hoje não consigo descrever e que até hoje sinto nojo de falar da situação.

-------------------------------------------------------------------------------------------------

Na imagem dois grandes atacantes Mário Matador e Welder no aniversários de 50 anos da fundação da Desportiva Ferroviária em 17 de Junho de 2013


---------------------------------------------------------------------------------

Como se pode notar nas palavras  quem esteve em campo o quanto foi doloroso aquele jogo tanto para os jogadores quanto para os torcedores capixabas,pois ali logo no 1º ano do novo presidente já percebíamos o quanto era incapaz,incompetente e totalmente passivo com falcatruas quando era um dos beneficiados mesmo que isso prejudicasse a todos envolvidos com futebol capixaba.

CAMPANHA EM 1994

fora 25 pontos em  18 partidas 10 vitórias,5 empates,3 derrotas,19 gols marcados,10 sofridos saldo de 9 positivo. Mario Matador foi o artilheiro da Desportiva e vice artilheiro da competição marcando 17 gols.

Sergipe 3x1 Desportiva
07/08/1994 - Domingo

CRB 0x1 Desportiva
10/08/1994 - Quarta-feira

Santa Cruz 2x2 Desportiva
13/08/1994 - Sábado

Desportiva 1x0 Sergipe
21/08/1994 - Domingo

Desportiva 1x0 CRB
24/08/1994 - Quarta-feira

Desportiva 2x1 Santa Cruz
27/08/1994 - Sábado

Desportiva 0x0 Democrata
11/09/1994 - Domingo

Americano 0x1 Desportiva
14/09/1994 - Quarta-feira

Desportiva 0x1 Americano
18/09/1994 - Domingo

Democrata 0x0 Desportiva
25/09/1994 - Domingo

América-RN 0x1 Desportiva
16/10/1994 Domingo

Moto Club 0x0 Desportiva
19/10/1994 - Quarta-feira

Santa Cruz 1x3 Desportiva
23/10/1994 - Domingo

Desportiva 0x0 Santa Cruz
30/10/1994 - Domingo

Desportiva 3x0 Moto Club
03/11/1994 - Quarta-feira

Desportiva 1x0 América -RN
06/11/1994 - Domingo

Desportiva  2x0  Goiás
13/11/1994 - Domingo

Goiás 2x0 Desportiva

20/11/1994 - Domingo







                                                 
Silvério na final contra o Goiás



                                                   
de pé:Mauro, Clifton, Luíz Carlos, Paulinho, Morelato, Dirley, Careca e Agnaldo
agachados : Jeancarlos, Mário,Welder, Marquinhos,Valtinho, Eusébio, Telê, Cruvinel (fonte revista Placar)