Translate

28 de junho de 2020

O jogo só termina quando acaba?

No esporte existe um ditado que "O jogo só termina quando acaba". No futebol esse ditado é o mais difundido, exemplos não faltam, a Desportiva em 2012 e 2013 provou para todo  mundo sobre a veracidade deste ditado, em 2012 contra o Estrela no Sumaré o ponteiro marcava 47 minutos do 2º tempo, placar fr 1x0 dava o título aos donos da casa, bandeiras tremulando, o grito de "É campeão" sendo gritado por todo lado, mas do lado grená o "Eu acredito" era cantando e Hercules empatou tudo e o que se viu foi o silêncio nas arquibancadas e nos prédios vizinhos ao Sumaré, silêncio este quebrado pela enxurrada de alegria grená que explodiu com o gol do título daquela Série B que foi uma marco pois marcava o retorno da Desportiva Ferroviária a elite capixaba. 
Outro exemplo foi no Bambu na final do estadual da Série A no ano seguinte, o 1x1 dava o título ao Aracruz, sua torcida já comemorava um bicampeonato quando Anderson Sorriso aos 43 acerta um petardo no ângulo do adversário calando mais um suposto campeão. Aqui na prática dois exemplos de como o jogo só termina quando acaba. Mas e quando o ditado não acontece de fato? pois bem a Desportiva já viveu este tipo de cenário algumas vezes desde 1963, aqui resgato 4 momentos envolvendo partidas que não chegaram ao fim.
Momento de quando a bola ainda rolava 




O caso mais famoso aconteceu em 1977, naquele Brasileiro da 1ª divisão a Desportiva vinha brigando páreo a páreo com Vitória/BA pela vaga para a 3ª Fase. Após um começo de competição ruim onde perdeu 4 e venceu apenas 1, a Tiva havia entrado nos trilhos de vez, nas 8 partidas seguintes conquistou 05 vitórias, 4x1 
 Sergipe  fora, 1x0 no Vitória na Bahia, 2x1 no Bahia, 3x1 no Vitória/BA e 2x1 Vitória/ES no Araripe, empate com Sergipe fora de casa, resultados que deixavam a equipe necessitando apenas de suas próprias forças para avançar. 



Escalações


Fomos para a partida final em 18 de dezembro precisando vencer por 2 gols ou mais de diferença assim estaríamos classificados para a 3ª fase eliminando o Vitória/BA. O adversário seria o Fluminense de Feira de Santana/BA dentro do Araripe. Mas coisas estranhas aconteciam antes da partida se iniciar, a polêmica já teve início antes mesmo da delegação baiana aportar no gramado do Araripe, eles gritavam para os quatro cantos que o Engenheiro Araripe não oferecia segurança para seus jogadores nem arbitragem, para piorar a partida teve atraso devido a espera de reforço policial, já que apenas 3 PMs se encontravam no local, por parte dos capixabas foi falado que não se esperou nem 30 pela chegada de reforço, por parte dos baianos foi falado que demorou 45 minutos, tempo que faria a partida ser cancelada segundo regulamento da competição. Mas é sabido que o Araripe com apenas 11 anos de inauguração era um dos mais modernos e seguros do país. Quando a partida começou em poucos minutos algo sem precedentes acontece, um cai cai que enfurecia a torcida grená nas arquibancadas, eram apenas 10 minutos de partida quando Walter zagueiro do Flu de Feira fez cera para bater um tiro de meta e acabou sendo advertido pelo árbitro Mario Rui de Souza, ele então chutou a bola para longe levou amarelo, não satisfeito esbravejou e Mario sacou o cartão vermelho, foi o estopim da granada que desencadeou uma enorme confusão, Fred, Beijoca e Caíco também foram expulsos, a Desportiva ficava com 11 jogadores em campo contra apenas 7 do Fluminense, número mínimo para seguir uma partida, o jogo recomeça e uma goleada história parece começar a se desenhar, só parece. No ataque seguinte da Desportiva o jogo logo é paralisado novamente, João Augusto lateral cai junto com Marcelino goleiro, ambos acusando lesão, Geraldo que era capixaba e Brasília entram em seus lugares, porém aos 19 minutos Eliberto também é expulso após peitar o árbitro, sendo assim a partida era paralisada por falta de número mínimo de atletas do adversário que agora tem apenas 6 em campo. Geraldo vai até o vestiário da Desportiva e solta a bomba, todo o time do Fluminense estava vendido. 
Quem comemorava este final de jogo precoce, era outro baiano, o Vitória era beneficiado direto, pois era quem avançava a próxima fase caso a Desportiva não tivesse vitória por 2 gols ou mais de diferença. Na Revista Placar(imagens a baixo) o caso ganhou bastante destaque, a diretoria grená se mexeu e foi em busca de brigar por uma vaga jogando e vencendo na bola sem covardia, José Hildo ligou para Valed Perry no Rio de Janeiro que aceitou defender a equipe grená, Cristiano Collins então presidente grená foi a CBD(Confederação Brasileira de Desportos)e a CBD apurou muitos indícios de falcatrua por parte das duas equipes baianas e da federação local, inclusive com tentativa de suborno antes da partida para o trio de arbitragem, no fim a justiça decidiu que haveria uma partida única em campo neutro sem vantagem de ninguém, mas o vitória que já havia sido derrotado pela Tiva duas vezes no campeonato tremeu e não compareceu a partida dando a vaga para a Desportiva Ferroviária.








Outro caso foi e competição local, por curiosidade no mesmo ano e local. A Desportiva enfrentava o Guarapari pelo returno do Torneio Jones dos Santos Neves, Já pelo segundo turno novo encontro contra o Guarapari em 27 de fevereiro, a torcida esperava uma goleada afinal o próximo adversário em questão era o saco de pancadas do torneio, havia perdido 3 dos seus 4 jogos, não tinha marcado um único gol e sofrido 6, a estreia havia sido derrotado por 3x0 justamente pela Desportiva dentro do Davino Matos sua casa, era tido como um jogo ganho já por grande maioria de quem acompanhava a competição, mas o que ninguém esperava era a partida ter apenas 30 minutos. Logo aos 12 minutos Wilson abriu o placar pra Tiva, era sintoma de goleada, mas aos 30 minutos o minuto chave do embate, Wilsinho e Nélio do Guarapari foram expulsos. "O jogo foi encerrado aos 30 minutos do 1º tempo, pois após a expulsão dos dois jogadores do Guarapari, os outros simularam contusão". Como explica a Revista Placar daquele ano, e foi  assim que o Guarapari conseguiu se livrar de mais uma  goleada contra a Tiva, de uma forma vergonhosa pior que se tivesse sofrido uma nova goleada.



Escalações



Outra partida que não acabou no fim aconteceu em 1984, Campeonato Capixaba no Estádio Engenheiro Araripe, para variar, em 09 de dezembro Desportiva e Vitória decidiam a segunda fase do estadual, era uma partida extremamente importante que poderia ter a Desportiva como campeã capixaba antecipada, após empate em 0x0 na partida de ida, a volta transcorria em baixo de um temporal, tanta chuva que a drenagem do Araripe não dava conta(como mostra a foto a baixo), o ponteiro chegava perto dos 25 do 2º tempo quando Samuel Batista fez 1x0 Vitória, estranhamente  apenas 05 minutos depois o árbitro encerrou a partida, estranho pois pelo regulamento as partidas encerradas antes dos 30 minutos do 2º tempo, deveriam ser reiniciados em 0x0, ou seja após o gol a arbitragem esperou exatos 05 minutos para encerrar a partida, a polêmica só amentou no dia seguinte quando os jornais afirmavam que a partida havia sido encerrada aos 29 quando ainda restavam 08 segundos para os 30, a discórdia aumentou quando no dia 11 a súmula da arbitragem de Jorge Corrêa Filho muda e confirma que a partida foi encerrada aos 30 minutos e 10 segundos e não aos 29 minutos e 52 segundos, acabou mesmo sendo confirmado o placar de 1x0 Vitória, a Tiva após esta partida de possível campeã por antecipada entrou em uma enorme crise, ficando 10 jogos sem vencer, passou a 3ª fase toda sem vencer, Laone foi demitido e um velho conhecido assumiu, Beto Pretti, depois as coisas se acertaram e como a Desportiva já estava garantida no quadrangular final estas 10 partidas acabaram não fazendo diferença na última fase da competição, e no fim a Tiva riu por último e conquistou o título estadual de 1984.



Em 2010 em sua última competição como Desportiva Capixaba, a Tiva encarava o Espírito Santo precisando dos 3 pontos para escapar do rebaixamento, mas as coisas não ocorriam nada bem para o time grená que não conseguia furar a defesa adversária, para piorar sofreu um gol ilegal aos 40 do 2º tempo pois no início da jogada nosso jogador sofreu uma carga e perdeu a disputa de bola após ser deslocado por um empurrão. Mas grená sempre vive na emoção, e aos 45 quando Ricardinho fez pênalti em Rafael a Desportiva ganhava uma sobrevida pois o adversário seria julgado por uma escalação irregular e fatalmente perderia pontos em caso de condenação, sabendo disso seus jogadores conturbaram o máximo de tempo possível, catimbaram e tentaram fazer com que Fabio Augusto não tivesse sucesso na cobrança, mas ele jogador com experiência internacional não caiu nas provocações e bateu firme marcando o gol do empate, enquanto os jogadores da Desportiva corriam para a torcida os do Espírito Santo corriam para cima do árbitro Hudson Braga para agredi-lo, afinal eles davam como certa a condenação na escalação irregular e ali culpavam ele pelo possível rebaixamento, a confusão foi tanta que Hudson encerrou a partida após a perseguição que sofreu depois da cobrança de penal. Dias depois o Espírito Santo foi absolvido da escalação irregular e a Desportiva acabou mesmo rebaixada, lado bom é que com isso a Desportiva Ferroviária retornou enfim em 2011 assumindo o comando do futebol profissional novamente após pouco mais de 11 anos nas mãos da Capixaba S/A.



Escalação
Confusão no fim da partida


Bônus
Em 2016 novamente o Araripe é palco de uma partida que não termina, era jogo treino entre o atual campeão e vice campeão capixaba, Desportiva e Espírito Santo se encaravam em um sábado de manhã em jogo treino como forma de preparação para a Série D 2016, os ânimos vinha acirrados principalmente pela final do estadual daquele ano com a Desportiva levantando a taça, por volta dos 30 minutos da 2ª etapa, Edmar Chazinho do Espírito Santo recebe uma entrada violenta de Paulo Vitor da Desportiva, isso gerou uma confusão que piorou quando Sidney da Desportiva e Emilio do Espírito Santo se empurraram de forma mais ríspida, isso fez com que comissão técnica e jogadores de ambos os times sem juntassem dentro do gramado, em uma confusão generalizada, a maioria para apaziguar a situação a situação acabar com a confusão é claro. Fabiano Rossato então treinador grená resolveu pedir o fim do jogo treino a fim de evitar o pior pois as equipes estavam próximas de estrear na Série D. A Desportiva Ferroviária foi a campo com: Felipe (Tião), Fabinho Capixaba (Ivan), Willyan (David), Erwin (Dilsinho), Anderson Tasca (Sidney), Thiago, Moreira, Jefinho (Acerola) e Wandinho (Vinícius Casão), Madison (David Dener) e Rael (Paulo Vitor).

A confusão que encerrou o treino





22 de março de 2020

Desportiva x Goiás

A equipe goiana é sem dúvidas a mais odiada depois do Rio Branco nosso maior rival, isso vem de 1994 quando as equipes se enfrentaram na semi final da Série B do Campeonato Brasileiro, Welder um dos melhores atacantes da história do clube grená comentou sobre o momento.  

"Na verdade foram momentos distintos. A ascensão do nosso time no campeonato foi para mim de grande emoção, pois em um campeonato tão difícil como a série B. Chegamos a semi final sem nenhuma dúvida do nosso potencial e tenho certeza que se nos deixasse-nos ir a final seriamos campeões...Mas a covardia que fizeram conosco sem sombra de dúvidas foi minha maior decepção em toda minha carreira. Naquele jogo mudaram o destino de vida profissional de todos nós jogadores. Mudaram a história do futebol capixaba, dos torcedores capixabas. Edmundo Lima Filho, não esqueço o nome nem a fisionomia do árbitro do jogo. Consegui dizer umas verdades pra ele pessoalmente em Portugal quando encontrei ele após uma final de Beach Soccer que ele apitou em Figueira da Foz. Mas ele não foi o único culpado, nossa Federação foi omissa diante da situação, por isso o futebol capixaba está  como está. A sensação de impotência dentro de campo perante a situação e o árbitro foi imensa e no vestiário fui tomado por um sentimento que até hoje não consigo descrever e que até hoje sinto nojo de falar da situação".
Como pode se notar o motivo de ódio é válido, inclusive de quem vos escreve neste humilde blog.

Sobre os confrontos, as equipes se enfrentaram em 06 oportunidades, 01 vitória da Desportiva, 02 do Goiás e 03 empates, 03 gols marcados, 05 sofridos, nem precisa falar do equilíbrio.   


  


Em 1973 dois confrontos pelo Campeonato Brasileiro Série A, em 10 de outubro no Estádio Engenheiro Araripe, as equipes não saíram do 0x0 em partida equilibrada e truncada.

 No mesmo Brasileiro novo confronto no Araripe em 17 de novembro, e outra vez não teve vencedor, 




Em 29 de março de 1978 o 3º confronto entre as equipes no Brasileiro e o 3º sem gols, mas desta vez a arbitragem foi uma espécie de 12º jogados do Goias, ele só coibiu o time capixaba, Dario nosso atacante cançado de apanhar revidou e ele quem acabou sendo expulso, do lado adversário nenhum amarelinho.  





Em 07 de fevereiro de 1981 nova partida aconteceu pela Série A do Campeonato Brasileiro em Goiânia, na disputa no Serra Dourada deu os donos da casa vencendo por 2x0. Enfim alguém balançou as redes após 4 partidas e mais de 360 minutos sem gols.  

Em 1994 os confrontos mais importantes aconteceram na semi final do Brasileiro da 2ª divisão, as duas equipes chegavam com 9 vitórias, 5 empates e 2 derrotas, ambas não perdiam desde a 1ª fase, o Goiás jogaria por 2 resultados iguais e em casa na volta devido saldo a maior.  

A PARTIDA DE IDA

DESPORTIVA 2X0 Goiás
No dia 13 de novembro Estádio Engenheiro Alencar de Araripe, lotado, abarrotado de torcedores o que se viu foi um massacre grená dentro de campo, a Desportiva dominava e acuava o time adversário, criava jogadas, marcava e abafava praticamente tudo que poderia criar risco a nossa defesa. Mas o gol saiu apenas na 2ª etapa de pênalti, após Jeancarlos ser derrubado na área Welder bateu e marcou 1x0 Tiva. A Desportiva seguiu na pressão, mas perdia muitos gols, o 2º gol foi marcado por Mário Matador aos 33 do 2º tempo e amenizou um pouco o tanto de chances criadas, o 2x0 era muito bom em relação a confronto direto no mata mata, mas devido as chances criadas além do adversário terminar com 2 a menos o placar era ruim, mas estávamos a um passo do paraíso, podendo perder por até 1x0 na partida de volta em Goiânia.

A PARTIDA DE VOLTA

Goiás 2x0 DESPORTIVA
Dia 20 de novembro Estádio Serra Dourada, na semana que antecedeu esta partida começam a ocorrer fatos estranhos em relação esta partida decisiva para nossa locomotiva, João Linhares então vice presidente da Tiva em entrevista diz que um conselheiro da Tiva recebeu uma ligação de um dos chefes da máfia da loteria, dizendo que em troca de uma quantia em dinheiro garantiria a vaga da Desportiva na 1ª divisão, os dirigentes grenás não aceitaram participar desta desonestidade, foram para a partida de volta sem se corromper mantendo a hombridade de uma equipe que não se vendeu para a máfia da loteria (durante anos era normal equipes, jogadores e dirigentes se venderem por dinheiro e manipular resultados). O que incomodou bastante  também foi Marcus Vicente presidente da Federação Futebol do Espírito Santo(FES) não ficar ao lado da delegação capixaba nesta partida, ficou do lado rival, ao lado de Maguito Vilela ex-governador e ex-presidente da Federação de Goiás, e nem ao menos cumprimentou os grenás antes da partida. Outra coisa também foram as ligações para o hotel da Desportiva com várias ameaças, mas esta parte das ameaças são coisas do futebol, o suborno do árbitro que foi vergonhoso.
Na partida o time goiano abriu o placar ainda no 1º tempo, este placar ainda dava a vaga a Desportiva, que mesmo com um gol antes dos 20 minutos o time não se apavorou e controlava bem a partida, o Goiás não conseguiu em momento algum sufocar a nossa equipe. Na segunda etapa Romeu foi expulso aos 20 minutos de jogo depois de entrada desleal em Welder, a Tiva com um a mais parecia ainda mais próxima da vaga na série A, eis que por volta dos 30 minutos Edmundo Lima Filho marcou um pênalti no mínimo duvidoso, a jogada se desenrolou quando o goleiro goiano rifou a bola pra frente na disputa de bola Arildo Peçanha sofreu a falta na disputa de cabeça porém Edmundo nada marcou e deixou a jogada seguir, Dill saiu cara a cara com Dirley, o zagueiro Rocha chegou junto disputando a jogada porém Dill foi mais rápido que ambos e tocou por cima de Dirley trombando os 3 uma jogada totalmente normal, Silvério tirava a bola a menos de 1 metro da linha do gol quando se ouve um apito...era o árbitro marcando pênalti, e já saiu gritando com os jogadores grenás "Está marcado, já eras se vier reclamar boto na rua." Esta não foi a única ação ríspida de Edmundo nesta partida, a todo momento ele tentava intimidar os grenás quando marcava faltas contra a Tiva ameaçava expulsar por qualquer reclamação, Silvério afirma com todas as letras que ele estava mal intencionado desde o início da partida! Baltazar marcou o 2x0 no placar, a Desportiva ainda se lançou em busca do gol que daria novamente a vaga na elite porém não conseguiu e ainda viu a partida ser encerrada aos 44 minutos de jogo, um segundo tempo em que houve expulsão, pênalti e além de não dar nada de acréscimos encerrou 1 minuto antes do tempo regulamentar. Acabava ali o sonho de voltar a 1ª divisão, e dali em diante o futebol capixaba entrou em coma justamente no mesmo período de presidência de Marcus Vicente, não é mera coincidência esses fracassos acumulados de 1994 até os dias atuais.





Em 07 outubro 1999 o último confronto, na época a Desportiva passava por sua maior crise, dentro e fora de campo, vinha com apenas 1 vitória nos 15 jogos disputados na Série B daquele Brasileiro, mesmo assim não perdeu para o rival que foi o campeão daquela edição terminando em 1x1 no Araripe.






9 de março de 2019

Os gols mais rápidos da Desportiva Ferroviária

O gol é o momento maior dentro de uma partida, todo time busca saltar na frente do placar o mais rápido possível para ter tranquilidade e ditar o ritmo da partida a sua melhor maneira. É comum se falar no futebol que o visitante deve suportar os primeiros 15 minutos de pressão dos mandantes, pois quando sofre gol neste período costuma modificar todo planejamento tático trabalhado antes de cada partida. 
Como é sempre dito neste Blog a Desportiva sempre foi uma equipe ofensiva, mesmo tendo defensores sensacionais como Adjalma, Elci, Juci, Wilson Pereira e tantos outros em seus plantéis, seu histórico é de time ofensivo que busca o gol, e com isso em várias partidas começamos em vantagem no placar nestes 15 minutos iniciais.
Nesta matéria faremos uma lista dos gols mais rápidos marcados pelo clube, lembrando que fichas técnicas são carentes e de difícil acesso no Espírito Santo, dentro de nossas possibilidades levantamos várias partidas e nelas fizemos a lista de acordo com os registros do Desportiva Ferroviária Blog.
Nesta matéria a lista será seguindo o critério de gols marcados até os 5 minutos de partida.


Gols marcados aos 05 minutos


Santos de Aribiri-ES 0x3 Desportiva
Data : 26 de agosto de 1967 
Motivo : Amistoso Estadual
Estádio : Engenheiro Araripe, Cariacica
Autor : Fraga

Desportiva 2x1 Caxias-ES
Data : 07 de maio de 1967 
Motivo : Taça Cidade de Vitória
Estádio : Engenheiro Araripe, Cariacica
Autor : Fraga de pênalti.

Desportiva  1x1 Guarapari/ES
Data : 04 de agosto de 1982 
Motivo :Campeonato Capixaba
Estádio : Engenheiro Araripe, Cariacica
Autor : Dario

Guarapari-ES 1x1 Desportiva
Data : 17 de junho de 1984 
Motivo : Campeonato Capixaba
Estádio : Davino Matos, Guarapari
Autor : Batalha


Gols marcados aos 04 minutos

Desportiva 2x1 Rio Branco-ES
Data : 07 de setembro de 1976 
Motivo : Campeonato Brasileiro Série A
Estádio : Engenheiro Araripe, Cariacica
Nesta partida o maior clássico do estado começou a ser decidido logo de cara por Moreira, na 2ª etapa Valmir aos 15 ampliou para 2x0 Tiva, Carlinhos aos 30 descontou mas estava sacramentado a vitória grená no primeiro clássico entre os dois pela maior competição do Brasil.

Desportiva 2x1 Rio Branco-ES
Data : 28 de maio de 1978 
Motivo : Campeonato Brasileiro Série A
Engenheiro Araripe, Cariacica
Dois anos depois os rivais voltam se encarar na 1ª divisão nacional, e algumas coincidências com o embate de 76, outra vez a Tiva abre o placar aos 4 minutos desta vez com Orlando, já no segundo tempo aos 16 abre 2x0 praticamente igual com Dario, a diferença ficou com Joadir aos 20 descontando para o rival, mas as ordens dos fatores foi igual vitória da Tiva por 2x1 e o rival virava freguês para todo Brasil ver.

Vitória-ES 0x1 Desportiva
Data : 31 de outubro de 1982 
Motivo : Campeonato Capixaba
Estádio : Salvador Costa, Vitória
Partida de ida da ultima fase que valeria vaga no Quadrangular Final, rival precisando da vitória para se classificar, torcida em casa querendo triunfo, decisão clássica pela frente, mas quem disse que a Desportiva ligou para isso tudo? logo aos 4 Naldo o Bigode Matador fez 1x0 e liquidou o adversário que não conseguiu sequer buscar o empate. 

Desportiva 3x0 Comercial de Muqui-ES
Data : 13 de dezembro de 1992 
Motivo : Campeonato Capixaba
Engenheiro Araripe, Cariacica
Era a partida de volta da final, Araripe lotado torcida empolgada com a vitória por 2x1 de virada em Muqui na partida de ida, e dentro de campo um timaço com Andrade, Washington, Welder, China e tantos outros grandes nomes, resultado com pouco mais de meia hora Washington(04) e Welder(34) abriram 2x0 Tiva, aos 17 do 2º tempo Edson Garcia sacramentou um dos títulos mais merecidos da história do futebol capixaba.

Desportiva 1x0 Rio Bananal-ES
Data : 16 de janeiro de 2008 
Motivo : Campeonato Capixaba Série B
Engenheiro Araripe, Cariacica
Autor : Zé Augusto

Linhares-ES 2x6 Desportiva
Data : 17 de agosto de 2013 
Motivo : Copa Espírito Santo
Estádio : Virgílio Grassi, Rio Bananal
Em uma partida doida a Tiva saltou na frente com Gabriel Buru aos 04, aos 26 Leo Oliveira fez 2x0 Tiva, mas aos 33 Leo Dias e Wagner aos 39 fizeram o torcedor grená ir para o intervalo irritado com o 2x2 em partida dominada. Mas Gabriel Buru aos 21 e aos 23 abriu 4x2 dando tranquilidade que só ficou ainda maior quando Evandro aos 25 e aos 37 anotou 6x2 Tiva levando a torcida grená presente ao delírio com essa goleada fora de casa.


Gols marcados aos 03 minutos



Desportiva  3x0 Atlético de Vila Velha/ES
Data : 18 de junho de 1967 
Motivo : Taça Cidade de Vitória
Estádio : Engenheiro Araripe, Cariacica
Autor : Fraga

Desportiva 1x0 Cesan-ES
Data : 18 de abril de 1971 
Motivo : Taça Cidade de Vitória
Engenheiro Araripe, Cariacica
Autor : Lincoln


Cesan-ES 1x2 Desportiva

Data : 16 de maio de 1971
Motivo : Taça Cidade de Vitória

Engenheiro Araripe, Cariacica
Autor : Carlos Alberto



Desportiva 3x0 Estrela do Norte-ES
Data : 18 de outubro de 1970
Motivo : Capixaba Capixaba
Estádio : Engenheiro Araripe, Cariacica
Autor : Alfredo

Grêmio-RS 3x1 Desportiva
Data : 24 de setembro de 1975
Motivo : Campeonato Brasileiro Série A
Estádio : Olímpico, Porto Alegre
Autor : Baiano

Desportiva 2x1 Vitória-ES
Data : 05 de novembro de 1978
Motivo : Campeonato Capixaba
Estádio : Engenheiro Araripe, Cariacica
Autor : Suemar

Desportiva 3x4 CRB-AL
Data : 30 de agosto de 2000
Motivo : Copa João Havelange
Estádio : Engenheiro Araripe, Cariacica
Autor : Luciano

Vitória-ES 2x2 Desportiva
Data : 11 de junho de 2006
Motivo : Copa Integração
Estádio : Salvador Costa, Vitória
Autor : Rodrigo Calisto

Grêmio Laranjeiras-ES 2x2 Desportiva
Data : 24 de maio 2012
Motivo : Campeonato Capixaba Série B
Estádio : Gil Bernardes, Vila Velha
Autor : Leo Oliveira

Rio Branco-ES 1x4 Desportiva
Data : 17 de abril de 2016
Motivo : Campeonato Capixaba
Estádio : Engenheiro Araripe, Cariacica
Esta partida é emblemática, não só pela goleada que começou cedo com Alexandre Hans marcando contra logo aos 3 minutos e Edinho fazendo 2x0 aos 6 minutos, no 2º tempo o massacre seguiu com Alexandre Acerola aos 8 e David aos 30 minutos, Rodriguinho aos 45 fez o gol de honra que não diminuía a humilhação sofrida para o time grená, emblemático também foi ver torcedor rival entrando no estádio já vendo 2x0 para a Desportiva, com 20 minutos já tinha organizada rival retirando faixa, com 30 minutos já tinha rival indo embora, e tudo isso ainda com direito a um gol grená que a arbitragem não assinalou quando a bola foi tirada pelo goleiro Walter já dentro do gol. A baixo o massacre completo da Tiva.


Desportiva 2x0 São mateus-ES
Data : 17 de fevereiro de 2018
Motivo : Campeonato Capixaba
Estádio : Engenheiro Araripe, Cariacica
Autor : Diniz

Gols marcados aos 02 minutos

Desportiva 2x1 Santos de Aribiri-ES
Data : 25 de agosto de 1963
Motivo : Campeonato Capixaba
Estádio : Salvador Costa, Vitória 
Esta partida é um marco na história grená, a Desportiva buscava seu 1º triunfo já que vinha de 1 derrota e 2 empates, e a sede de vitória resultou no gol de Luizinho logo aos 2 minutos de partida, aos 37 Tamilton faz 2x0 e deixa a primeira vitória mais perto, Jair aos 25 do 2º tempo desconta mas não impede a primeira vitória oficial da Tiva.

Desportiva 3x1 Vitória-BA
Data : 04 de dezembro de 1977
Motivo : Campeonato Brasileiro Série A
Estádio : Engenheiro Araripe, Cariacica

Autor : Orlando



Santo Antônio-ES 0x4 Desportiva
Data : 03 de junho de 1979
Motivo : Campeonato Capixaba
Estádio : Rubens Gomes, Vila Velha
Autor : Evandro


Ibiraçu-ES 1x2 Desportiva
Data : 17 de agosto de 1980
Motivo : Campeonato Capixaba
Estádio : Marcos Campagnaro, Ibiraçu
Craque Geovani  foi nome do 1º gol grená, Peixinho aos 25 empatou. na experiência de Dario a Desportiva chegou ao gol da vitória aos 37 do 2º tempo.

Mercu Buana Medan-IND 0x3 Desportiva
Data : 25 de maio de 1981
Motivo : Amistoso Internacional
Estádio : Teladan Medan
Este gol não valeu título, classificação ou sequer 3 pontos, mas é muito emblemático por ser internacional, durante a excursão na Ásia a Tiva foi até a Indonésia e Naldo aos 2 fez 1x0 e 2x0 aos 26  minutos do 1º tempo. Não satisfeito em marcar dois chegou aos 3º aos 10 do 2º tempo, já relaxado com a vitória o time grená sofreu gols de Sanija aos 31 e Abdurachman aos 36.


Desportiva 2x1 Rio Branco-ES
Data : 18 de novembro de 1981
Motivo : Campeonato Capixaba 
Estádio : Engenheiro Araripe, Cariacica
Esta partida foi válida pela ida da final da 2ª fase, partida que valeria vaga na final daquele estadual contra o Colatina. Só a vitória importava para a Tiva já que o rival jogava por dois resultados iguais, Naldo acabou com esta vantagem logo aos 2, o craque Zuza fez aos 36 abrindo 2x0, o gol de Jonas aos 41 Encerrou um primeiro tempo emocionante, o placar seguiu até o fim, na volta o 0x0 confirmou a Desportiva na final do estadual que seria conquistado diante do Colatina

Desportiva 3x1 Vitória-BA
Data : 31 de janeiro de 1982
Motivo : Campeonato Brasileiro Série A
Estádio : Engenheiro Araripe, Cariacica
Autor : Dario

Desportiva  2x1 Colatina-ES
Data : 21 de novembro de 1982
Motivo : Campeonato Capixaba
Estádio : Engenheiro Araripe, Cariacica
Autor : Dario

Desportiva 3x1 Ibiraçu-ES
Data : 31 de julho de 1983
Motivo : Campeonato Capixaba
Estádio : Engenheiro Araripe, Cariacica
Autor : Tiziu

Desportiva  3x1 Rio Bananal-ES
Data : 17 de junho de 2007
Motivo : Campeonato Capixaba Série B
Estádio : Engenheiro Araripe, Cariacica
Zé Afonso começou a festa grená na final da competição que aos 27 ficou ainda maior quando ele de novo fez 2x0, com o título encaminhado Zé Afonso outra vez faz 3x0 aos 10 e escreve seu nome na história ao ser o primeiro jogador da Desportiva a marcar 3 gols em uma final, Moises descontou aos 35 mas a festa já estava completa com título grená.

Gols marcados a  01 minuto

Carlos Chagas-MG 1x5 Desportiva
Data : 10 de setembro de 1967
Motivo : Amistoso Interestadual
Estádio : Anita Rodrigues, Campo do Borroló, Carlos Chagas-MG
Mendonça foi as redes logo de cara, curioso que a Tiva só voltaria a marcar aos aos 7 do 2º tempo com Silvinho, Bazé aos 12, Silvinho aos 15 e Fraga aos 40 marcaram os 5 gols grenás nesta goleada.Esta partida foi em comemoração aos 25 anos de fundação da equipe mineira.

Desportiva  3x2 Fluminense/RJ
17 de março de 1976 Amistoso Interestadual
Na despedida de Elci Rodrigues um dos maiores defensores do estado, o tricolor carioca é o convidado, e a Tiva começou com feito um rolo compressor, Augusto com apenas 1 minuto, Orlando aos 15 e aos 28 abriram 3x0 para a locomotiva grená, na 2ª etapa o Fluminense descontou encerrando placar em 3x2 Tiva

Desportiva 3x0 Guarapari-ES
01 de novembro de 1981 Campeonato Capixaba
Lucas marcou exatamente a 1 minuto e 30 segundos, Naldo aos 36 aumentou, e ele novamente aos 23 do 2º tempo fechou a goleada. este gol de Lucas recebeu Prêmio gol mais rápido Caixa Econômica, que era distribuindo aos gols mais rápidos por todo país.

São Raimundo/AM 4x1 Desportiva
27 de agosto de 2000
Motivo : Copa João Havelange
Estádio : Ismael Benigno, Manaus-AM
Nesta partida o que pode ser o gol mais rápido sofrido pelo clube, aos 48 segundos Marcelo Araxá fez 1x0 São Raimundo, mas na saída de bola Vanderlei já empatou para a Tiva, mas antes do fim do 1º tempo a Tiva sofreu mais 2 gols que desmontaram o sistema tático do time que no momento já era frágil.


Espírito Santo-ES 1x1 Desportiva
Data : 14 de fevereiro de 2018
Motivo : Campeonato Capixaba
Estádio : Kleber Andrade, Cariacica
Autor : Gean Miller, vídeo a baixo.


Gols marcados antes  de 01 minuto


Doze-ES 1x3 Desportiva
28 de fevereiro de 2018 Campeonato Capixaba
Aqui Tatá marcava o segundo gol mais rápido da Desportiva logo aos 29 segundos de partida em uma jogada muito bem trabalhada, o início de partida era o que seria o 1º tempo, aos 21 Carlos Vitor fez 2x0 e Rafael Olioza fez 3x0 com apenas meia hora de jogo. Gol de Tatá no vídeo a baixo.






Desportiva  2x1 XV de Piracicaba/SP
15 de novembro de 1998 Campeonato Brasileiro Série B
Em um ano que ficou marcado na história da Desportiva por ser um dos times mais técnicos e ofensivos, um nome em especial marcou ainda mais, Marcos Roberto "O Pantera" mostrou que merece o apelido e logo aos 15 segundos de jogo balançou as deres do time paulista, foram exatos 11 toques na bola até ela chegar as redes piracicabanas. Paulo Renato acabou marcando contra empatando tudo no 1º tempo, mas Marcos Roberto em dia inspirado fez 2x1 aos 06 2º tempo dando a vitória a Tiva no jogo do gol mais rápido da história do clube. Um fato curioso que nesta partida eu estava jogando pela base da Desportiva na sede social da Desportiva que ficava ao lado do estádio Engenheiro Araripe, eu e outros garotos fomos correndo para o Estádio e quando estávamos entrando no estádio Pantera estava fazendo o gol histórico da Tiva! Gol história a seguir.

Marcos Roberto comemora o gol mais rápido da Tiva


6 de janeiro de 2019

Desportiva Ferroviária no futebol feminino


Que a Desportiva Ferroviária é um clube de currículo respeitável e grandes conquistas no futebol masculino o Brasil todo já conhece, único time do Espírito Santo com título nacional(Brasileiro de Juniores 1995), 51 partidas sem derrota (3ª maior série do país), várias vitórias contra equipes de Norte a Sul do país e até contra seleções nacionais. Mas que o clube é pioneiro no futebol feminino poucos sabem, nesta matéria vamos contar um pouco da história do time feminino da Desportiva, a matéria vai mostrar o quanto o clube contribuiu para difundir o esporte bretão entre as mulheres, e justamente em um período onde oque mais se ouvia era que "futebol é coisa de homem" e que mulher devia ficar em casa e nem na arquibancada era seu lugar.
Durante o Estado Novo por exemplo, sobre a tutela de Getúlio Vargas entre 1937-1945, foi criado o decreto 3.199 em 1941, que proibia as mulheres de praticar esportes considerados incompatíveis com suas condições biológicas, beisebol, todas modalidades de luta, e é claro o futebol, além de halterofilismo. Mas as mulheres lutaram, mesmo que não nas artes marciais e conseguiram acabar com um pouco dessa guerra machista após alguns anos, o decreto foi revogado apenas em 1978, segundo algumas informações em 11 de março, mas sem entes terem regras criadas pelos homens é claro. 
As partidas ocorriam em 70 minutos e não em 90, a bola não era tamanho 5 como no masculino, era tamanho 4, a única coisa igual eram as dimensões do campo. Mesmo com todas as barreiras na Desportiva já existia uma equipe feminina mesmo no período de proibição, por isto a Tiva é pioneira, tanto que em 1980 já havia uma equipe grená feminina forte idealizada por Delton Bitttencourt, diretor amador da Desportiva Ferroviária na época. Em 1983 a Desportiva ostentava um recorde de dar inveja, foram mais de 50 partidas de invencibilidade, batendo até mesmo o recorde da grande equipe grená de 1967/68 que ficou incríveis 51 jogos sem derrotas, pena que não se tem material sobre a lista de vítimas grenás. 
Um registro que se tem de uma dessas várias vitórias foi diante do Estrelinha de Jucutuquara, Sônia Fraga foi um dos nomes da sonoro goleada de 9x0, ela começou uma jogada antes do meio campo, passou por 3 adversárias, antes de tocar para Marluce ponta direita que se livrou de outra adversária bateu cruzado e adivinhem qual foi o pé que estufou as redes do Estrelinha, Sônia que havia começado a jogada, o time titular abriu 6x0 na primeira etapa, no segundo período a Desportiva entrou com time reserva e seguiu com ritmo forte marcando mais 3 vezes o Engenheiro Araripe.  


Grande Delton e asa craques grenás

Mas como já era de se esperar nem tudo eram flores, na verdade era quase sempre espinhos, entre 1980 e 1983 a Desportiva havia disputado 122 partidas onde só havia perdido uma única partida, mesmo assim a diretoria grená deu a terrível notícia de que não teria mais verba para manter a equipe feminina em atividade, nem bancar os treinamentos no Araripe nem materiais mais, pois bem, mesmo assim as meninas seguiram firme no futebol, Delton dividiu as meninas em equipes de bairro que seguiam se chamando de Desportiva mesmo sem o vinculo com o clube grená, era uma espécie de seleção feminina, que se juntava quando havia um desafio pela frente, mas era algo raro pois naquela época se supõem que haviam apenas 25 equipes espalhadas pelo solo espírito santense, cerca de 500 jogadores, mas nem os clubes tradicionais como Desportiva, Vitória e Rio Branco nem a FED Federação Espírito Santense de Desporto investiam, a alegação mais usada naquele período era de que futebol seria uma atividade perigosa para as mulheres, capaz de feri-las gravemente durante uma disputa mais séria, até uma bola dominada no peito era "tabu", pois os homens achavam que a bola batia no seio e machucava, mas as próprias mulheres deixavam claro que não dominavam no seio, dominavam um pouco acima dele, era uma debate cercado de mitos.
Jussara goleira grená argumentava o seguinte, se as mulheres se jogam para fazer a defesa identicamente feito os homens, dão carrinho, cabeceiam, e etc qual motivo de não tornar o futebol feminino profissional também se elas faziam tudo que os homens faziam. 
Ana Regina outra goleira grená também argumenta, "futebol é algo natural, porque vem de dom, começa cedo no colégio, você vê que tem jeito para a coisa e vai em frente. Eu comecei no Ipiranga."
Elza Costa também jogadora rejeita o argumento utilizado pelos que combate o futebol feminino de que homem é mais bem preparado tecnicamente, "Eu posso ficar tão bem quanto um homem se tiver tempo para treinar, treinamento e essencial, mas nós não podemos treinar porque temos que trabalhar, estudar e tudo mais." 
O que as 3 concordavam era que o preconceito era muito grande, mas antes era maior, Jussara afirma que o fato de existir a Desportiva foi oque mais combateu essa situação. " Hoje a gente vê as jogadoras chegarem para treinar com namorado, marido, noivo, antes não. Mas o preconceito ainda existe." 
Mesmo sem nenhuma das garotas sofrendo lesão seria durante os 122 jogos contrariando a mistica de que o esporte bretão era perigoso para o "sexo frágil", mesmo assim nenhuma das 25 equipes tiveram chance de disputar sequer um campeonato, provando que a liberação do futebol para as mulheres era mais teórica e restava a elas lutarem para conseguir na pratica realmente.





Treino no Estádio Engenheiro Araripe
Pequeno registro provando que a Tiva era uma máquina de vitória
Décadas se passaram e o futebol feminino passou ser mais bem quisto, hoje a Copa do Mundo por exemplo chama as atenções de todo o Mundo que acompanha até na TV aberta algumas partidas decisivas, no Espírito Santo finalmente acontece o Campeonato Feminino de Futebol. Foi a partir de 2000 que o futebol feminino começou ganhar mais espaço e respeito mesmo que a passos lentos. 
Em 2007 veio a primeira Copa do Brasil de Futebol Feminino, e a Desportiva foi a primeira equipe capixaba representante, a equipe grená ficou na Chave 13 encarando o Nacional de Uberaba/MG. 
Na partida de ida no Engenheiro Alencar Araripe vitória da Tiva por 2x1 em 2 de novembro de 2007. A volta em Santa Luzia em 08 de novembro no Estádio Victor Andrade de Brito Frimisão, o time grená sucubiu perdendo por 4x0 se despedindo da competição. 
Peter Falcão clicou as grenás na primeira Copa do Brasil de Futebol Feminino

 A Desportiva disputou a Copa do Brasil em mais duas oportunidades, em 2008 quis o destino que a Tiva encarasse o Santos/SP logo de cara, acabou sendo eliminada após revés por 5x0, detalhe que o Santos foi o time campeão vencendo todas as suas 10 partidas mostrando o tamanho da força do adversário que a Tiva teve que encarar. 
No ano seguinte foi a vez do CEPE Caxias de Duque de Caxias/RJ, elas foram as algozes grenás vencendo por 5x1, no ano seguinte o CEPE seria a campeão da Copa do Brasil.
Nos anos seguintes a Desportiva manteve uma equipe feminina mas sempre sofrendo muito para se manter, mesmo assim as meninas conseguiram repetir uma boa sequência de partidas sem derrotas, foram maios de 30 segundo algumas lembranças deste que vos escreve no blog.    
Equipe feminina de 2009 de ficou várias partidas sem derrotas, aqui era mais um triunfo, este no Estádio Salvador Costa.

Canal no Youtube 


Associação Desportiva Ferroviária/Blog


Menu do Blog


25 de dezembro de 2018

Recordistas ano ano em Brasileiros pela Desportiva

Em Campeonatos Brasileiros Série A a Desportiva Ferroviária possui 186 partidas e nestas partidas alguns jogadores conquistaram marcas históricas. Destaque para dois atletas com mais de 100 partidas, Evandro o Leão do Jardim é o jogador com mais partidas disputas 125 ao todo, depois dele vem Cunha com 104 jogos. Para se ter ideia do tamanho deste feito os dois tem mais jogos que o maior rival Rio Branco na Série A. Algo curioso é que mesmo Edmar possuindo mais de 100 jogos pela Desportiva ele não aparece na lista de recordistas, em 1980 foi por apenas uma partida ele não encabeçou os recordistas, mas isso pouco importa já que é o 2º jogador que mais defendeu a pesadíssima camisa grená. 


Vamos a lista ano a ano.

Campeonato Brasileiro de 1973
Nélson Souza que era lateral é o primeiro da lista, é também o jogador com mais partidas em um mesmo ano com a camisa da equipe grená de Jardim América, foram 26 partidas naquele ano, ele esteve presente em todas as partidas da equipe grená naquela estréia na Série A do Brasileiro. Elci, Wilson Pereira e Zezinho Bugre ficaram logo atrás com 25 partidas.



Nelson Souza
Lista de jogos :
Desportiva 2x0 Sergipe-SE
Desportiva 2x0 Atlético-MG
Desportiva 0x1 Remo-PA
Comercial-MS 0x0 Desportiva
Desportiva 1x0 Náutico-PE
Desportiva 0x1 Rio Negro-AM
Atlético-PR 1x0 Desportiva
Desportiva 1x1 Portuguesa-SP
Desportiva 1x1 Olaria-RJ
Desportiva 0x0 Goiás-GO
Desportiva 2x1 América-RN
Vitória-BA 2x1 Desportiva
Desportiva 1x0 Flamengo-RJ
Desportiva 0x1 Grêmio-RS
Desportiva 1x3 Santos-SP
Desportiva 0x1 Palmeiras-SP
Desportiva 0x0 Santa Cruz-PE
Ceará-CE 0x0 Desportiva
Desportiva 1x0 CEUB-DF
Paysandu-PA 0x2 Desportiva
Moto Club-MA 1x1 Desportiva
Desportiva 0x3 Comercial-MS
Desportiva 2x0 Náutico-PE
Desportiva 1x1 Sport-PE
Remo-PA 2x0 Desportiva
Santa Cruz-PE 1x0 Desportiva


Campeonato Brasileiro de 1974
Neste ano Juci foi o grande recordista, o defensor que marcou histórica no clube disputou 19 partidas seguido de perto por Zezinho Bugre com 17. Juci esteve presente em todas as partidas da equipe naquele ano de 74.


Juci
Lista de jogos :
Desportiva  1x0 Itabaiana/SE
Desportiva  0x0 Vasco/RJ
Desportiva  1x0 Avaí/SC
Atlético/PR 1x0 Desportiva 
América/RJ 2x0 Desportiva 
Desportiva  1x1 Vitória/BA
Desportiva  2x3 Botafogo/RJ
Desportiva  0x0 Paysandu/PA
Internacional/RS 3x0 Desportiva 
Flamengo/RJ 4x0 Desportiva 
Desportiva  1x0 Tiradentes/PI
Desportiva  0x1 Coritiba/PR
Desportiva  2x1 Sampaio Corrêa/MA
América/RN 0x0 Desportiva 
Desportiva  0x5 Grêmio/RS
Bahia/BA 1x1 Desportiva 
Desportiva  1x1 Fluminense/RJ
Remo/PA 3x1 Desportiva 
Desportiva  0x1 Olaria/RJ


Campeonato Brasileiro de 1975
Neste ano temos mais um  jogador do setor defensivo, agora e a vez de Edalmo, goleiro grená disputou 15 partidas. Edalmo só não disputou a última partida em que a Desportiva goleou o Americano em Campos por 3x0.
Edalmo
Lista de jogos  :
Desportiva  0x0 Vitória/BA
América/RN 2x1 Desportiva 
Desportiva  1x2 Santos/SP
Desportiva  0x2 Flamengo/RJ
Desportiva  0x0 Portuguesa/SP
Desportiva  1x1 Sergipe/SE
Desportiva  1x0 Santa Cruz/PE
Figueirense/SC 5x1 Desportiva 
Grêmio/RS 3x1 Desportiva 
Goiânia/GO 4x2 Desportiva 
Desportiva  2x1 Campinense/PB
CEUB/DF 2x0 Desportiva 
Desportiva  0x0 Bahia/BA
Desportiva  1x0 CSA/AL
Náutico/PE 4x1 Desportiva 


Campeonato Brasileiro de 1976
Neste Brasileiro pela primeira vez dois jogadores foram recordistas, Augusto e Celso Alonso entraram em campo 11 vezes, atrás deles na lista aparecem Orlando, Ari, Evandro, Carlinhos e Sérgio todos com 10 participações. Celso Alonso só ficou de fora de uma partida, e logo no clássico contra o Rio Branco que a Desportiva venceu por 2x1 gols de Moreira e Valmir. Já Augusto esteve de fora da partida diante do Grêmio no Rio Grande do Sul. Lembrando que eram mais dois do setor defensivo ambos laterais.
Celso Alonso
Lista de jogos  :
Desportiva  0x1 Palmeiras/SP
Desportiva  0x3 Avaí/SC
Desportiva  1x0 Figueirense/SC
Desportiva  1x4 Internacional/RS
Grêmio/RS 3x1 Desportiva 
Caxias/RS 2x0 Desportiva 
Santos/SP  0x0 Desportiva 
Figueirense/SC 3x1 Desportiva 
Desportiva  0x0 Caxias/RS
Rio Branco/ES 1x0 Desportiva 
Avaí/SC 1x0 Desportiva 

Augusto
Lista de jogos :
Desportiva  0x1 Palmeiras/SP
Desportiva  2x1 Rio Branco/ES
Desportiva  0x3 Avaí/SC
Desportiva  1x0 Figueirense/SC
Desportiva  1x4 Internacional/RS
Caxias/RS 2x0 Desportiva 
Santos/SP  0x0 Desportiva 
Figueirense/SC 3x1 Desportiva 
Desportiva  0x0 Caxias/RS
Rio Branco/ES 1x0 Desportiva 
Avaí/SC 1x0 Desportiva 


Campeonato Brasileiro de 1977
Algo inédito neste nacional, pela primeira vez um jogador do setor ofensivo  era o recordista de participações. Orlando disputou todas as 20 partidas da Tiva neste nacional, Suemar veio em seguida com 18.
Orlando ainda anotou 5 gols. Na vitória por 2x1 sobre Vitória-ES no clássico capixaba, nos 3x1 sobre Vitória-BA, nos 3x1 sobre o Confiança-SE, e sua vítima deste ano foi o Sergipe-SE onde ele marcou  duas vezes, uma no empate em 1x1 e outra na bela goleada por 4x1 em plena casa do rival.
Orlando
Lista de jogos :
Desportiva  0x5 Fluminense/RJ
Desportiva  0x2 Flamengo/RJ
Desportiva  1x0 Volta Redonda/RJ
América/RJ 3x0 Desportiva 
Vitória/ES 2x1 Desportiva 
Sergipe/SE 1x4 Desportiva 
Fluminense/BA 0x0 Desportiva 
Vitória/BA 0x1 Desportiva 
Desportiva  3x1 Confiança/SE 
Desportiva  2x1 Bahia/BA
Volta Redonda/RJ 2x0 Desportiva 
Desportiva  3x1 Vitória/BA
Desportiva  2x1 Vitória/ES 
Sergipe/SE 1x1 Desportiva 
Desportiva  0x0 Fluminense/BA*
Partida paralisada aos 15 minutos devido falta de jogadores do Fluminense por expulsões e simulação de lesões, a vitória foi homologada para a Desportiva pela CBD.
Palmeiras/SP 4x1 Desportiva  
Santa Cruz/PE 2x0 Desportiva 
Operário/MS 5x0 Desportiva 
Desportiva  2x2 Remo/PA
Desportiva  0x0 América/RJ



Campeonato Brasileiro de 1978
Neste ano Suemar lateral e Samuel guarda metas foram os recordistas com 16 jogos cada, eles estiveram em campo em todas as 16 partidas da equipe. Menção honrosa para o atacante Vanderlei que só ficou de fora da estréia da equipe sendo autor de 2 gols durante a competição.



Samuel e Suemar disputaram as mesmas partidas
Lista de Jogos 
Desportiva 0x0 Goiás/GO
Desportiva 0x0 Rio Branco/ES
Desportiva 1x0 Operário/MS
Desportiva 0x1 Corinthians/SP
Desportiva 2x0 Dom Bosco/MT
Santos/SP 1x1 Desportiva
Desportiva 0x0 Brasília/DF
Vila Nova/GO 2x0 Desportiva
Anapolina/GO 2x1 Desportiva
Comercial/MS 0x0 Desportiva
Misto/MS 3x0 Desportiva
Desportiva 2x0 Vila Nova/GO
Desportiva 2x1 Rio Branco/ES
Desportiva 0x2 Anapolina/GO
Comercial/MS 1x0 Desportiva
Dom Bosco/MT 2x1 Desportiva

Campeonato Brasileiro de 1979
Este nacional marcou um recorde de nomes. Samuel e Suemar que estavam na lista anterior retornam agora com a companhia de Evandro o Leão do Jardim e Vanderval que disputaram todas as 16 partidas grenás naquele Brasileiro. Evandro inclusive anotou o seu na goleada por 4x0 sobre o São Paulo/RS marcando ponto positivo para o setor do meio campo que contou com 2 nomes..


Suemar, Samuel, Evandro e Vanderval
Lista de jogos
Grêmio Maringá/PR 2x0 Desportiva 
São Paulo/RS 1x2 Desportiva 
Desportiva  0x0 Chapecoense/SC
Desportiva  2x0 Operário/PR
Desportiva  1x0 Criciúma/SC
Brasil/RS 1x1 Desportiva 
Desportiva  2x0 Caldense/MG
Colatina 0x0 Desportiva 
Desportiva  2x1 Caxias/RS
Desportiva  2x2 Internacional/SP
Desportiva  2x1 Anapolina/GO
Goytacaz/RJ 0x1 Desportiva 
Desportiva  1x0 Atlético/PR
Caldense/MG 1x0 Desportiva 
Internacional/RS 4x0 Desportiva 
Desportiva  4x0 São Paulo/RS

Campeonato Brasileiro de 1980 
Neste ano o recordista foi Edson também do setor defensivo, ele esteve em campo em todas as 18 partidas da equipe grená. Logo em seguida vieram Edmar, Vicente Paixão, Dario e Botelho atacante bola de Prata a competição. todos com 17 jogos. 

Edson
Lista de jogos :
Desportiva  1x0 Guarani/SP
Vila Nova/GO 1x0 Desportiva 
América/RN 1x1 Desportiva 
Desportiva  1x4 Atlético/MG
Ceará/CE 0x0 Desportiva 
Vitória/BA 4x2 Desportiva 
Desportiva  1x0 Palmeiras/SP
Fluminense/RJ 3x1 Desportiva 
Desportiva  3x1 Flamengo/PI
Desportiva  3x1 Ferroviário/CE
Desportiva  0x0 Coritiba/PR
Remo/PA 5x0 Desportiva 
Ferroviário/CE 0x1 Desportiva 
Desportiva  3x1 Remo/PA
Coritiba/PR 7x1 Desportiva 
Flamengo/RJ 3x0 Desportiva 
Santos/SP 0x0 Desportiva 
Desportiva  2x1 Ponte Preta/SP

Campeonato Brasileiro de 1981
Duas gratas surpresas neste nacional. Uma foi Vicente Cruz a experiência a serviço da Tiva ao seu lado Geovani com apenas 17 anos de idade mas já com atitude de craque veterano disputaram ambos as 9 partidas grenás naquele ano. Vicente Cruz e sua experiência foram importantíssimas na partida diante do Corinthians no Pacaembu quando os paulistas venciam a partida por 2x0 com menos de 20 minutos de jogo, aos 28 Vicente descontou para a Tiva que na segunda etapa através de Londrina deixou tudo igual encerrando no 2x2 placar final. Vicente Paixão e Rogério disputaram 8 partidas. 


Vicente Cruz e Geovani
Lista de Jogos :
Desportiva  0x4 Botafogo/RJ
Desportiva  0x1 Pinheiros/PR
Grêmio/RS 2x0 Desportiva 
Corinthians/SP 2x2 Desportiva 
Desportiva  0x2 Operário/MS
Desportiva  2x2 Brasília/DF
Goiás/GO 2x0 Desportiva 
Galícia/BA 1x0 Desportiva 

Desportiva  0x1 Portuguesa/SP


Campeonato Brasileiro de 1982
Neste Brasileiro um recorde com 5 nomes na lista. Sendo Rogério goleiro, Gabriel zaga, Batalha, Dario e Naldo atacantes. Todos eles entraram em campo 9 vezes. Naldo anotou 3 gols, 2 na vitória por 4x2 sobre Vitória em Salvador e 1 na vitória histórica sobre Grêmio que seria Campeão Mundial meses depois. Dario anotou 4 tentos, 1 nos 4x2 sobre o Vitória em Salvador, na derrota por 2x1 para São José/SP e 2 em novo triunfo contra o Vitória/BA. Batalha anotou 2, 1 também nos 4x2 contra o Vitória/BA e 1 no fatídico 7x1 sofrido diante do Atlético/MG.

Rogério, Gabriel, Batalha, Dario e Naldo disputaram as mesmas partidas
Lista de jogos :
Desportiva  0x2 Atlético/MG
Grêmio/RS 2x0 Desportiva 
São José/SP 2x1 Desportiva 
Desportiva  3x1 Vitória/BA
Desportiva  0x1 São José/SP
Vitória/BA 2x4 Desportiva 
Atlético/MG 7x1 Desportiva 
Desportiva  1x0 Grêmio/RS
Partida da repescagem vaga na 2ª fase
Cruzeiro 1x0 Desportiva 

Campeonato Brasileiro de 1985
Em 1985 mais uma vez a defesa foi a recordista, Rogério disputou todas as 22 partidas da Desportiva no brasileirão ficando atrás apenas de Nélson Souza com 25 como quem mais jogou em um mesmo torneio.
Rogério
Lista de jogos :
Desportiva  2x1 Vila Nova/GO
Desportiva  0x1 Brasília/DF
Uberlândia/MG 1x2 Desportiva 
Corumbaense/MS 2x0 Desportiva 
Bangu/RJ 4x1 Desportiva 
Desportiva  0x1 Joinville/SC
Amistoso internacional
Desportiva  2x1 Pohang Steelers/Coréria do Sul
Campeonato Brasileiro Séria A 1985
Ponte Preta/SP 2x0 Desportiva 
Pinheiros/PR 1x0 Desportiva 
Desportiva  3x0 Brasil/RS
Desportiva  3x1 Leônico/BA
Villa Nova/MG 3x1 Desportiva 
Vila Nova/GO 1x0 Desportiva 
Brasília/DF 0x0 Desportiva 
Desportiva  2x1 Uberlândia/MG
Desportiva  0x1 Corumbaense/MS
Desportiva  0x1 Bangu/RJ
Joinville/SC 0x1 Desportiva 
Desportiva  1x0 Ponte Preta/SP
Desportiva  0x2 Pinheiros/PR
Brasil/RS 5x0 Desportiva 
Leônico/BA 1x1 Desportiva 
Desportiva  1x1 Villa Nova/MG


Campeonato Brasileiro de 1993
No ultimo ano da nossa Tiva e do Espírito Santo na Série A desde então, o nome que ficou marcado como recordista é o de Barbosa, o meia que entrou em campo 14 vezes naquele certame, marcou 3 gols, na derrota por 4x1 para o América/MG, a de 2x1 para o Criciúma, marcou também na vitória por 1x0 sobre o União São João/SP a última capixaba na elite brasileira.
Barbosa
Lista de jogos : 
Desportiva  0x1 Coritiba/PR
Paraná/PR 6x1 Desportiva 
Criciúma/SC 2x1 Desportiva 
Desportiva  1x1 Atlético/PR
Desportiva  1x0 União São João/SP
Portuguesa/SP 3x1 Desportiva 
Desportiva  1x4 América/MG
Coritiba/PR 0x0 Desportiva 
Desportiva  0x0 Paraná/PR
Desportiva  1x2 Criciúma/SC
Atlético/PR 2x2 Desportiva 
União São João/SP 2x0 Desportiva 
Desportiva  0x0 Portuguesa/SP
América/MG 0x0 Desportiva