Translate

20 de julho de 2022

Vitórias da Desportiva fora de casa em Campeonatos Brasileiros

Vencer fora de casa em qualquer competição é difícil por vários motivos, clima hostil, campos as vezes em condições ruins, pressão da torcida, arbitragem caseira e donos da casa empolgadas sendo empurrados por sua torcida. E vencer em uma competição de alto nível é mais difícil ainda. Nesta matéria as partidas em que a Desportiva foi um visitante indigesto e saiu de campo com a vitória nas Séries A, B, C e D do Brasileiro.

Na Serie B foi onde o clube mais conquistou triunfos como visitante, foi na Série C  onde a locomotiva grená conquistou sua vitória mais expressiva ao aplicar 6x1 no Villa Nova/MG. Na Série D mesmo com apenas duas participações já possui duas vitórias fora de casa.

Campeonato Brasileiro Série A
A primeira vitória correu na 5ª partida fora, ela foi longe, em uma quarta feira 14 de novembro de  1973 a Desportiva foi até Belém no Pará encarar o Paysandu, e com gols de Pereira aos 10  Zezinho aos 43 ambos no primeiro tempo matou a partida. Fato curioso é que Fio Maravilha então jogando pela Desportiva havia sido dispensado pelo Paysandu anteriormente, mesmo sem marcar ele se sentiu vingado com essa vitória. 
A Desportiva foi a campo assim escalada por Sarcinelli : George, Juci, Elci, Nélson Souza, Marquinhos, Wilson Pereira, Evandro, Baiano, Sérgio, Zezinho Bugre, Fio Maravilha(Déo) e Batista


A segunda vitória quebrou uma sequência de 17 jogos sem vencer como visitante,  em Campos Rio de Janeiro, ela marcou nossa primeira goleada, a Tiva goleou o Americano por 3x0 eliminando o adversário do Brasileiro. 
Valmir aos 32 fez o 2º gol grená ainda na primeira etapa, os outros dois ficaram a cargo de Orlando que aos 11 fez 1x0 e aos 35 do 2º tempo fechou o placar em 08 de novembro de 1975 outra quarta.

Após passar o ano de 1976 sem vencer fora a Desportiva conseguiu vencer duas partidas no mesmo certame. Em 10 de novembro de 1977 foi até o Batistão em Aracaju e goleou o Sergipe sem piedade. Corinto foi o nome da partida marcando 3 vezes, aos 11 e aos 39 do 1º tempo e aos 23 do 2º tempo, Orlando aos 35 fechou o caixão do Sergipe


.
No dia 16 de novembro agora contra o Vitória em Salvador, jogando na Fonte Nova Corinto fez o gol da vitória grená aos 16 do 1º tempo. Esta era nossa 3ª partida no Nordeste seguida sem derrotas.




No ano de 1979 logo na 2ª rodada conquistamos triunfo fora,
 em 26 de Setembro no Estádio Aldo Dapuzzo  derrotamos o São Paulo/RS por 2x1, curioso que todos os gols da partida foram da a Desportiva, foi nossa primeira vitória de virada,  aos 30 do 1º tempo nosso atacante Dario marcou gol contra, o empate aconteceu somente aos 20 do 2º tempo gol de Cacildo, e a virada veio aos 42 do segundo tempo com o mesmo que havia marcado gol contra, gol de Dario, coisas que somente o futebol proporciona, o vilão virar herói na mesma partida.
Com gol de Silvio aos 41 do 1º tempo a Tiva derrotou o Goytacaz por 1x0 em 15 de novembro de 1978, vencendo sua 2ª fora, mês abençoado para vencer fora diga-se de passagem nova vitória. Era nossa 4ª partida fora sem derrota.

Em 1980 voltou a vencer fora, no dia 20 de abril foi até Fortaleza no Ceará encarar o irmão de ferrovias Ferroviário e com gol de Botelho aos 21 minutos do 1º tempo voltou para Cariacica com a vitória, Botelho que foi eleito um dos melhores daquele Brasileiro.


Em 1982 derrota novamente o Vitória em Salvador, a partida ocorreu em 10 de fevereiro em Salvador, a Desportiva deu show, com 02 gols  de Naldo  aos 13 e 34 e Batalha aos 41 do 1º tempo e Dario aos 28 do 2º tempo a Desportiva aplicou 4x2 no time baiano.



Em 1985 estreia fora de casa 3ª rodada já trouxemos resultado positivo, jogando contra Uberlândia que sofreu nos pés de Naldo que fez aos 29 e aos 33 os gols fez os gols do 2x1 para a Tiva. No mesmo ano  beliscamos outro triunfo longe do Espírito Santo, jogando no Ernestão vencemos Joinville por 1x0 gol de Tiziu aos 27 da 2ª etapa . 


Brasileiro Série B foi em mata mata, após 1x1 com Goytacaz dentro do Eng Araripe a Desportiva se superou e com 1 a menos derrotou os mandantes 
em 28 de fevereiro de 1984
no Estádio Godofredo Cruz em Campos do Goytacazes/RJ por 2x0 com renda : Cr$ 2.859.000.00, 1.906 aproximadamente viram  Paulistinha aos 22 do 1º tempo e Amauri aos 33 do 2º tempo anotar os gols da vitória, Nílson Cardoso Bilha/SP expulsou  Alexandre de campo.


Em 1986 a Desportiva volta mostrar que era o pesadelo do Goytacaz do Rio de Janeiro, partida em 10 de setembro mais uma vitória grená, esta  por 2x1.
Em 1989 um confronto caseiro, em 30 de setembro derrotou o Colatina por 2 tentos a 1 no Justiniano de Melo e Silva em Colatina. 
Em 1991 volta enfrentar e derrotar o Colatina pelo mesmo placar de 2x1 no mesmo local, agora em 09 de fevereiro. No mesmo ano derrota o Americano em Campos, 2x1 em 31 de março, Mário Matador aos 33 do 2º tempo marcou o gol da vitória.

Em 1992 no ano do acesso a Desportiva conquistou duas vitórias fora de casa. 1x0 sobre o Taguatinga no Distrito Federal em 23 de fevereiro, e o fantástico 4x3 sobre o Remo em pleno Baenão em 18 de março pelo placar de 4x3 em uma das partidas mais emocionantes de sua história, a Desportiva mesmo com gramado pesado, arbitragem caseira e estádio lotado não se intimidou e sempre esteve a frente do placar. Marcelo Brito fez 1x0 o Remo empatou, Marcelo Brito fez 2x1 e o Remo empatou novamente, Mauro Soares fez 3x2 o Remo chegou ao empate mas Mauro Soares novamente fez o 4º gol sacramentando a vitória grená! 


Em seu retorno a Série B após rápida passagem na Série A a Desportiva venceu 4 partidas pela Série B do Brasileiro. Em 10 de agosto 1x0 sobre CRB em Maceió, em 14 de setembro 2x1 sobre Americano em Campos/RJ, em 09 de outubro 1x0 sobre América de Natal no Estádio Machadão. A vitória mais marcante foi em 23 de outubro contra o Santa Cruz/PE em pleno Arruda algo que nos anos 90 era raro acontecer, os 3x1 da Tiva fez a torcida adversária aplaudir de pé o time grená. Ano que só não conquistamos novo acesso devido arbitragem vendida.


Em 1995 mais 03 vitórias da Tiva como visitante, em 16 de agosto o Santa Cruz recebeu a Desportiva para a revanche e acabou vendo outra vez a locomotiva grená vencer, agora por 2x1. No feriado de 07 de setembro o Democrata em Governador Valadares tentava sua primeira vitória da história contra a Desportiva, são quase 10 jogos sem vencer, no fim, Desportiva 2x1 e manutenção do tabu. 
Em 15 de outubro foi a vez do América perder outra vez para a Tiva no Machadão, os 5x0 aplicados pela Tiva no Eng Araripe quase se repetiu, o placar de 2x0 Tiva ficou barato.

Em 1996 foram apenas 05 jogos  fora de casa, jogando em Aracaju a Desportiva derrotou o Sergipe por 1x3 em 01 de setembro.

Em 1997 apenas uma vitória, mas ela aconteceu em rede nacional, a Desportiva foi até Goiás e venceu o Goiatuba por 1x0 em 31 de agosto com transmissão ao vivo da TV  Bandeirantes, se não me engano Luciano do Vale era quem narrava salvo engano.

Em 1998 naquela campanha memorável quando fomos 3º lugar na Série B a Desportiva não se dava muito bem fora de casa, em casa era quase certo vencer, já fora não, tanto que foram apenas dois triunfos, a primeira delas foi no Estádio do Café diante do Londrina em 30 de agosto placar de 1x0. 
A segunda vitória teve uma importância tremenda na classificação, a Desportiva era obrigada vencer ou estava eliminada da competição, então em 22 de novembro a Tiva foi até Santa Catarina e começou vencendo com gol de China aos 38 do 1º tempo, mas logo a 1 minuto de jogo Lucianinho igualou o placar, as duas equipes se revezavam no ataque, os donos da casa atacavam mais quando Índio aos 22 recolocou a Desportiva na frente, a Tiva precisou se segurar até o fim com um menos pois Giuliano foi expulso

Didinho marca Romildo na partida em SC 

Em 2000 a única vitória fora foi bem longe, 2x1 sobre o Nacional em  Manaus/AM em 30 de agosto.
Em 2001 em sua última participação na Série B até então, a sua vitória fora foi sobre o Bragantino em Bragança Paulista no Estádio Nabi Abi Chedid em 14 de outubro.  João Santos aos 14 do 1º tempo inaugurou o placar para os donos da casa,  Admílson aos 45 ainda na primeira etapa empatou e Gil Baiano aos 13 do 2º tempo anotou o gol da vitória grená.
Edson da Desportiva na vitória em Manaus 


Brasileiro Série C
As primeiras duas partidas foram foram de casa na competição, a primeira delas 2x1 sobre a Cabofriense/RJ em 23 de janeiro de 1988,  e na rodada seguinte uma vitória marcante, 4x1 sobre o Tupi em Juiz de Fora/MG em 26 de outubro.
Em 28 de setembro de 2003 uma vitória histórica, a Desportiva atropelou impiedosamente o Villa Nova no Castor Cifuentes por 6x1. Morelato aos 09 fez o 1º gol capixaba na partida, Kill aos 16 fez 2x0, quando Didi descontou no  minuto seguinte ninguém poderia imaginar   o que viria na 2ª etapa.
Aos 16 Bill fez 3x1, aos 24 Léo Oliveira transformou em goleada marcando 4x1, e não parou por aí, Agnaldo aos 28 e Bill aos 31 fecharam o placar em 6x1 Desportiva, esta que é a maior goleada fora de casa da equipe em competições nacionais. 
Pela Série C foram poucas partidas, apenas 12 fora de casa com 3 vitórias.



Brasileiro Série D
Mesmo disputando apenas duas e vezes a competição a Desportiva já venceu duas fora de casa. Em 10 de junho de 2016 1x0 sobre o Goianésia em Goiás gol de David de pênalti. Na Série D de 2017 em 04 de junho a Desportiva foi até o Rio de Janeiro e derrotou o Bangu por 0x1 em Moça Bonita.









27 de junho de 2022

Goleadas da Desportiva na Copa Espírito Santo




 Nestes mais de 140 jogos na 2ª maior competição do futebol capixaba a Tiva já aplicou goleadas marcantes e históricas, teve goleada em clássicos, goleadas fora de casa, uma das  maiores goleadas da história da competição, o time grená é o detentor do maior número de goleadas aplicadas, já são 09 ao todo. 

No topo da lista a maior vítima é o Linhares que já sofreu 05 goleadas, Castelo sofreu 03, Cachoeiro, Tupy e Sport Brasil 02, vale destacar também as goleadas em clássicos contra Rio Branco e Serra

Segue à baixo a lista de todas as goleadas em ordem cronológica!


A primeira de todas foi em 2003 nos 3x0 sobre o Cachoeiro no Araripe com 2 gols de Ronaldo e 1 de Kesley em 05 de novembro.


Na rodada seguinte a vítima foi o Tupy que sofreu mesmo placar mas desta vez  Ronaldo marcou 1 e Leo Oliveira quem marcou duas vezes. 

Na mesma competição ainda vieram mais duas goleadas. 

4x0 no Cachoeiro em Cachoeiro de Itapemirim com Maroni marcando contra, Faioli e Leo Oliveira duas vezes em 30 de outubro. 

Na rodada seguinte a Desportiva fez história, com time repleto de garotos vindos da base grená atropelou impiedosamente o Rio Branco aplicando a maior goleada da história do clássico no arquirrival, Andrezinho com apenas 14 minutos fez 1x0, Ronaldo aos 32 e Leo Oliveira no minuto seguinte abriram a porteira colocando 3x0 ainda na primeira etapa. Leo Oliveira novamente aos 18 do 2º tempo fez 4x0 Tiva com uma pintura, e Leo Pereira aos 33 fechou o caixão do adversário que entrava pensando em título a saia com uma humilhação histórica, partida em 07 de dezembro no Eng Araripe.




Em 2008 no ano do nosso primeiro título aconteceu apenas uma goleada, mas foi muito importante, ela aconteceu logo na semi final, os 3x0 aplicados no Grêmio Laranjeiras na Estiva na partida de ida garantiram a vaga na final.


Em 2011 o tão sonhado retorno da Ferroviária foi coroado com um sonoro 4x1 no Serra em pleno Robertão, Gilmar duas vezes, Arpini e Flávio desenharam a nosso maior goleada sobre o rival em 30 de junho. Observando que os 3x0 no Capixaba de Guaçuí foram W.O devido abandono do adversário com a competição em andamento.




Em 2013 a maior goleada aplicada no interior do estado, a vítima o Linhares em Rio Bananal, Gabriel Buru foi grande destaque marcando 3 vezes, mas Evandro também foi muito bem marcando 2 vezes, além de Leo Oliveira que também guardou o dele 6x2 Tiva placar final(17/08).

Em 2014 exatamente 1 ano depois nova goleada no interior, agora no Sul, 4x1 sobre o Castelo, Willyan, Erivelton  com gol olímpico, o interminável Léo Oliveira e Kelvin de pênalti foram as redes. pouco mais de um mês depois o Castelo volta ser atropelado pela locomotiva grená, agora no Engenheiro Araripe implacável 5x0, gols de Júlio César, Kelvin, Ivan, Léo Oliveira sempre e Dinda(19/09).



2016 foi a vez do Vilavelhense sentir a força da locomotiva, no Araripe os 4x1 ficaram baratíssimos pelo volume de jogo e a quantidade de finalizações claras, Anderson Tasca, Rael duas vezes e Alexandre Acerola construíram a vitória(20/09).

2017 novamente o Linhares a vítima predileta na Copa ES, 3x0 Tiva gols de Thiago, Edinho e João Vitor(12/08). E olha aí o Linhares de novo, agora foi pior ainda, 4x0 Desportiva gols de David, Teco, Madison e Diogo Neves(27/08).

Neste ano a Desportiva aplica sua maior goleada jogando no Estádio Estadual Kleber Andrade, 6x0 no Sport Brasil.



Em 2018 o Castelo volta ser goleado novamente em casa, Ratinho, Edinho, Willy e David marcaram os tentos grenás(16/09) .



Em 2019 vem a maior goleada de todas, impiedosamente a Desportiva aplica 8x1 no Araripe em 14 de setembro e a vítima tinha que ser o Linhares mesmo, Matheus Costa 3 vezes, Matheus Bidick duas vezes,  Lucas Trindade, Dodô e Adrien marcaram no massacre.




Em 2020 logo na estreia goleada a goleada mais recente, 4x0 sobre o Atlético Itapemirim no Araripe, Luquinhas duas vezes, Fred e Dudu foram as redes(22/09).




Em 2022 novamente um velho conhecido, o Linhares novamente, agora a goleada acontece em Cachoeiro de Itapemirim no Estádio Sumaré, Eltinho, Anderson Silva, Moroto, Rafael Olioza e Kenji anotaram os 5x0 da Tiva. 



5-nov 2003 Desportiva   3x0  Cachoeiro

Eng Araripe, Cariacica

9-nov 2003 Desportiva 3x0 Tupy

Eng Araripe, Cariacica

30-nov 20003 Cachoeiro   0x4  Desportiva 

Moreira Rebello, Cachoeiro de Itapemirim

7-dez 2003 Desportiva   5x0  Rio branco

Eng Araripe, Cariacica

26-out 2008 Gel 0x3 Desportiva

 Estiva, Serra

Estiva, Serra

30-set 2012 Serra  1x4  Desportiva 

Robertão, Serra

17-ago 2013 Linhares FC 2x6 Desportiva 

Virgilio Grassi, Rio Bananal

17-ago 2014 Castelo 1x4 Desportiva 

Emilio Nemer, Castelo

19-set 2014 Desportiva  5x0 Castelo

Eng Araripe, Cariacica

20-set 2016 Vilavelhense 1x4 Desportiva

Eng Araripe, Cariacica

12-ago 2017 Desportiva 3x0 Linhares FC

Eng Araripe, Cariacica

26-ago 2017 Linhares FC 0x4 Desportiva

Eng Araripe, Cariacica

10-set 2017 Sport/ES 0x6 Desportiva

Kleber Andrade, Cariacica 

16-set 2018 Castelo 1x4 Desportiva

Emilio Nemer, Castelo

14-ago 2019 Sport/ES 0x3 Desportiva

Kleber Andrade, Cariacica

14-set 2019 Desportiva 8x1 Linhares FC

Eng Araripe, Cariacica

22-set 2021 Desportiva 4x0 Atlético Itapemirim/ES

Eng Araripe, Cariacica

25-jun 2022 Linhares FC 0x5 Desportiva

Sumaré, Cachoeiro de Itapemirim





11 de maio de 2022

Vitórias da Desportiva no Rio de Janeiro



Que capixabas são bastante interessados nos clubes cariocas todo mundo já sabe, isso vem enraizado desde a década de 1910 quando futebol começou chegar  no Espírito Santo, seus fundadores eram praticamente quase todos capixabas de famílias ricas que foram para o estado vizinho estudar e trouxeram o esporte para cá, querendo ou não eles voltavam "cariocalizados", hoje chamados de "capiriocas", as equipes quase todas tinham inspiração nos vizinhos...América de Vitória, primeiro campeão capixaba, Americano de Vila Rubim, São Cristóvão, sem contar os inúmeros Botafogos, Vascos, Flamengos e Fluminenses que nunca vingaram em solo Espíritosantense, mas aqui temos torcedores fiéis que quando tem confronto ES x RJ jamais torcem contra o clube de sua terra, e uma torcida fiel é a da Desportiva, é cada vez mais raro se encontrar torcedores com camisas de outros clubes que não seja a nossa grená, sempre encaramos os cariocas com propriedade, o primeiro clube que eliminamos em competição nacional foi justamente um carioca(Eletrovapo), já derrotamos todos os 4 grandes do RJ além de vários dos tradicionais como América e Bangu  que enfrentamos, fomos campeões Brasileiros Juvenis no estado carioca inclusive, temos uma história interessante com futebol carioca. São 59 partidas no estado vizinho, e temos um desempenho de 12 vitórias, desempenho bem satisfatório já que enfrentamos todos os 4 grandes do estado, além de América, Olaria, Bangu e Volta Redonda em grandes fases. 







------------------------------------------------------------------------------------------------------------

1966 vitória por 1x0 sobre Bangu em partida amistosa. Local : Moça Bonita, Rio de Janeiro/RJ. Competição : Amistoso Interestadual 1966. Data : 21 de abril de 1966. Juiz : Henrique José Ribeiro. Auxiliares : Selmir Miranda e Evandro Onofre. Cartão Vermelho : Cabralzinho(Ban).

Bangu : Aldo, Celinho, Mario Tito, Luiz Alberto, Ari Clemente, Ocimar, Roberto, Pinto, Vermelho, Araraí, Cabralzinho e Zé Carlos. 

Desportiva : Adjalma, Genuca, Mateus, Alcione, Roberto Almeida, Wilson, Arino, Maurélio, Silvinho, Moreira e Edson.

Gol : Maurelio(Des) aos 8 do 2º tempo entrega das faixas do título Bicampeonato estadual da Desportiva 1964/65.


--------------------------------------------------------------------------------------------------------------

Em 1969 derrotamos o Americano por 2x0 em Campos dos Goytacazes pelo Torneio Centro Sul com propriedade.

 Estádio Godofredo Cruz a Desportiva sempre foi muito competitiva lá dentro


-------------------------------------------------------------------------------------------------------------

Em 1975 goleamos Americano por 3x0 pelo Brasileiro da Série A, a Desportiva já não tinha pretensões na competição mas com esta goleada eliminou os cariocas. A partida teve belas jogadas, mas também teve botinadas jogo típico eliminatório.

Competição : Campeonato Brasileiro Série A 1975 . 1a Fase 2ª Fase 4ª Rodada

Local: Estádio Godofredo Cruz. Campos (RJ)

Data : 08 de novembro de 1975

Público: 4.450. 

Renda: Cr$ 32.694,00 

Juiz :  Jarbas de Castro Pedra.

Gols : Orlando(Des) aos 11, Valmir(Des) aos 32 do 1º tempo. Orlando(Des) aos 37 do 2º tempo




-----------------------------------------------------------------------------------------------------------

1979 pela Série A do Brasileiro triunfamos por 1x0 sobre Goytacaz, Estádio Godofredo Cruz 15 de novembro de 1979, a Desportiva foi a campo com: Samuel, Edmar, Suemar, Evandro, Vanderval, Célio(Zezinho Bugre), Orlando, Vicente Cruz, Sílvio, Zuza e Dario.  Treinador Alfredo Abraão. Sílvio marcou o gol da vitória já aos 41 do 2º tempo.


-----------------------------------------------------------------------------------------------------------

1984 Era mata mata e a Tiva eliminou Goytacaz vencendo por 2x0 em Campos após 1x1 no Araripe. A Tiva mesmo com um a menos venceu e convenceu!

Goytacaz/RJ 0x2 Desportiva

Local : Godofredo Cruz, Campos do Goytacazes/RJ

Competição : Campeonato Capixaba Série B 1984

Data : 28 de fevereiro de 1984

Juiz : Nílson Cardoso Bilha/SP

Renda : Cr$ 2.859.000.00

Público : 1.906

Cartão Vermelho : Alexandre(Des)

Gols : Paulistinha(Des) aos 22 do 1º tempo. Amauri(Des) aos 33 do 2º tempo


------------------------------------------------------------------------------------------------------

Em 1985 o maior atropelo, goleamos por 5x0 o Everest no Estádio Ademar Bebiano no Bairro Inhaúma.

Simpático e acanhado Estádio Ademar Bebiano, a Desportiva aplicou sua  maior goleada no RJ.


-----------------------------------------------------------------------------------

Em 1986 confronto pela Série B do Brasileiro e nova vitória da Desportiva, placar de 2x1 sobre Goytacaz no Estádio Ary de Oliveira Souza.  


Estádio Ary de Oliveira Souza


----------------------------------------------------------------------------------------------------------

Pelo Brasileiro Série B de 1991 derrotamos Americano em Campos por 2x1, 

-----------------------------------------------------------------------------------

Série B 1988 no confronto de Desportivas melhor para a Desportiva grená sobre a Desportiva Cabofriense vitória por 2x1.

Estádio Alair Corrêa o Correão onde as Desportiva se enfrentaram, melhor para a grená!

-----------------------------------------------------------------------------------

1994 Série B Brasileiro novo confronto contra Americano e a Tiva vence por 1x0.

-----------------------------------------------------------------------------------

2008 1x0 sobre Cardoso Moreira na preparação de ambos para seus respectivos estaduais. 

Local : Antônio Ferreira de Medeiros, Cardoso Moreira/RJ

Competição : Amistoso Interestadual 2008

Data : 08 de fevereiro de 2008

Gol : Aloísio(Des) aos 18 do 2º tempo




-----------------------------------------------------------------------------------

Série D de 2017, Desportiva estreava com pé direito derrotando Bangu por 1x0 em Moça Bonita, foi nossa última partida no Rio de Janeiro até a data desta matéria. 

Local : Moça Bonita

Data : 04 de maio de 2017

Competição : Campeonato Brasileiro Série D 2017

Desportiva :  Felipe, Anderson Sorriso, Rafael Olioza, Rodrigo Lacraia, Erick Daltro, Caetano, Thiago, Zizu, Madison (Weldon), Paulo Vitor (Teco) e Marco Morgon (João Vitor). Técnico Rafael Soriano

Gol : Hygor Guimarês contra aos 46 minutos do 2ºtempo

Elenco após a vitória sobre Bangu comemorando no vestiário 


-----------------------------------------------------------------------------------

Em 1966 aconteceu uma partida interessante, a Tiva derrotou São Cristovão fora de casa por 1x0, mas a partida não aconteceu no Rio de Janeiro, aconteceu em Aimorés Minas Gerais no aniversário de 51 anos de fundação da cidade

Local Estádio Associação de Ferroviários, Aimorés-MG 

Competição : Amistoso Interestadual

Desportiva: 01-Edalmo 02-Simonassi 03-Roberto Almeida 04-Alcione 05-Wilson 06-Cezar 07-Maurélio 08-Dennison 09-Silvinho 10-Arino e 11-Fraga. Técnico : Paulo Emilio.

Data : 17 de setembro de 1967

Gol : Fraga(Des)

----------------------------------------------------------------------------------

19 de setembro de 2021

Técnicos da Desportiva campeões capixabas

 Desde 1964 até 2016 são 18 taças de campeonatos estaduais da Desportiva conquistados por 14 treinadores diferentes, isso se deve ao bicampeão Marcos Nunes e ao tricampeão Beto Pretti.

O primeiro da lista era improvável de se imaginar quando assumiu equipe durante o estadual de 1964 ainda mais que ele era o 3º treinador na competição,  Adeildo Pereira de Lima  o Pernambuco era ferroviário e tinha como experiência apenas o Ferroviário S.C uma das equipes que deu via a Desportiva em 1963, Wilson Vassalo treinou apenas 4 rodadas, Gentil Cardoso foi treinador por 5 rodadas, saindo para o América/RJ, Pernambuco assume faltando 7 rodadas para fim do returno, para surpresa de todos começa com tudo, a Tiva goleia o Americano da Vila Rubim por 3x0, 4x1 no Estrela em Cachoeiro de Itapemirim, vence Caxias por 2x1, aplica os incríveis 10x1 no Vila Nova de Colatina, o grande teste seria na rodada seguinte contra Vitória a Desportiva passa no teste vence por 2x0, foi primeiro clássico com triunfo neste estadual, derrota São Silvano em Colatina 2x1 e na última rodada do returno ao derrotar o Rio Branco por 1x0 força partida extra contra o rival que valeria o título do returno, após 1x1 no tempo normal, 1x1 na prorrogação finalmente se conhece o campeão, a Tiva vence nos pênaltis por 2x1 conquista o returno e estraga os planos do rival de conquistar o título antecipado na maior partida entre os rivais até hoje.

a Grande final foi na melhor de 3 jogos, mas já no primeiro a Desportiva fica muito próxima de seu primeiro título estadual, vence por 3x1 Cunha, Silvinho e Maurélio foram as redes. Na partida de volta Bezerra duas vezes e Cunha deram a vitória por 3x2 e o título inédito a Desportiva Ferroviária vencendo novamente.


Em 1965 o campeão foi um velho conhecido, Wilson Vassalo o Faé retorna a equipe e conquista o primeiro título invicto da Tiva, a torcida dizia, No Araripe quem caia morria, venceu todas as 5 partidas em casa marcando 17 gols contra 2 sofridos. O título foi conquistado na goleada por 3x0 sobre Santo Antônio, Bezerra, Wilson e Arino foram os autores dos gols do título, Arino com este gol chegou a 10 e com isso encerrou como artilheiro do estadual. 


No título estadual de 1967, a equipe que é tida como a maior de toda história da Desportiva e por alguns a maior que o estado já viu, liderados por Paulo Emilio esta equipe ficou 51 partidas invicta, neste estadual foram 12 partidas, 09 vitórias e 03 empates, foram marcados  26 gols , apenas 03 gols sofridos, saldo de 22.  Moreira foi o artilheiro máximo do estadual com 14 gols, curioso é que desses 14 05 foram em uma única partida, quando a Desportiva aplicou 7x0 no Castelo. Ele começou show aos 08 do 1º tempo, ampliou aos 10, no 2º tempo continuava só dando Moreira na partida, fez aos 07, aos 10 e aos 20 abrindo 5x0, Maurélio(30) e Wilson(33) fecharam o atropelo.


Em 1972 a Desportiva vinha mordida devido o estadual de 1971 conquistado no campo ter sido perdido no tapetão. Beto Pretti seguia no comando técnico para estadual de 1972, ele foi responsável por uma grande renovação no elenco, Silvinho, Roberto Almeida e Maurélio já não estavam na equipe, o 1º devido idade, 2º devido temperamento explosivo o 3º virou Doutor. A grande verdade que Beto montou um sistema defensivo quase perfeito, Walter, Kiko pelos lados e a maior dupla de zaga que já tivemos com Elci e Juci sofreram apenas 2 gols em 11 jogos e com ataque marcando 16 gols, foram 7 vitórias, 2 empates, 2 derrotas, o título foi conquistado na melhor de 03 com Tiva vencendo a ida por 1x0, perdendo a volta por 1x0 e sagrando-se campeã com o 0x0 na 3ª partida. Beto Pretti chegava ao topo com a locomotiva grená!


Em 1974  Décio Leal veio para o estadual na vaga de Silvio Pirilo que saiu após o fim do Campeonato Brasileiro Série A e foi para o Corinthians/SP. Largou muito bem vencendo América de Linhares(1x0), Ferroviária de João Neiva(3x1), Vitória(3x0) e Santo Antônio(3x0) em 13 partidas 10 vitórias grenás, 2 empates apenas 1 derrota, foram 22 gols marcados, 5 sofridos, saldo de 17, além do título teve Zezinho Bugre artilheiro da competição com 10 gols anotados. O título foi conquistado de uma forma fantástica, Evandro marcou gol olímpico aos 22 do 2º tempo.


Em 1977  Nelsinho Rosa veio com uma equipe reformulada que havia conquistado a Taça Jones dos Santos Neves no começo do ano e dava confiança para elenco , a equipe já não contava mais com eterno ídolo Zezinho Bugre, o início foi avassalador, em 13 partidas,  7 vitórias com apenas 1 derrota, destaque para os 5x0 no Caxias e 6x0 no III de Maio. Na 2ª fase em 14 jogos 9 vitórias, e vaga tranquila para o Quadrangular Final. Nesta última fase a pouca idade pesou para os garotos grenás, após vencer Industrial de Linhares e Estrela do Norte ambos por 1x0 necessitava apenas do empate contra o Rio Branco para conquistar o título, Célio e Evandro marcaram mas a equipe perdeu por 3x2 e agora disputaria a final derradeira contra o próprio Rio Branco 03 dias depois. A Desportiva chegava um pouco abalada psicologicamente para esta decisão, mas do outro lado havia uma soberba por ter vencido 3 das 4 partidas neste estadual, mas a bola puni e a punição veio aos 44 do 2º tempo e veio por um garoto, Zambi entrou aos 30 minutos da 2ª etapa e aos 44 fez o gol do título!




No título de 1979, o melhor ataque era a defesa, na campanha de 26 partidas, 11 terminaram com vitórias, 12 empates, 03 derrotas, terminamos marcando 34 gols marcados e sofrendo apenas 11, terminando com 23 de saldo. 

A defesa era perfeita, média de 0,4 gols por jogo, sofreu gol em apenas 10 das 26 partidas, mas o ataque deixava a desejar tendo média de 0,7 gols por jogo, mesmo com média baixa não deixou de golear como nos  8x1 aplicados no  Leão de São Marcos de Nova Venécia e os 4x1 no Santo Antônio. 

A equipe que tinha Alfredo Abrão como treinador chegou ao Quadrangular com 1 ponto extra devido  a conquista de uma das fases anteriores,  como venceu Vitória(1x0) e Rio Branco(1x0) empatou com América de Linhares(1x1) a Desportiva já chegava ao fim do turno com 06 pontos contra 03 de Vitória e Rio Branco e 02 do América, a vitória valia 02 pontos e não 03. Após empate em 0x0 com Vitória já pelo returno eram 07 pontos da Tiva contra 04 do Vitória e do América, a partida em Linhares já tomava contornos de decisão, a 1ª etapa a torcida do América saia esperançosa com o 1x0 no 1º tempo chegava aos 6 pontos contra 7 da Tiva, mas Orlando tratou de acabar com as esperanças com requintes de crueldade ao marcar gol olímpico, a Desportiva conquistava o estadual com uma rodada de antecedência. Por incrível que parece não foi encontrado nenhum registro em foto de Alfredo infelizmente.


Em 1980 um velho conhecido, Beto Pretti retornava para mais uma conquista,  além do título estadual de 79 com moral lá em cima, atual campeã estadual, melhor campanha capixaba na elite nacional, além de um nome que todo mundo conhece, craque Geovani nascia para futebol profissional, este estadual foi desgastante, foram 34 jogos, 20 vitórias, 10 empates, 4 derrotas, 57 gols marcados, 19 gols sofridos, 38 saldo de gols. O título foi conquistado de fato contra o Vitória na última rodada quando Dario marcou aos 16 do 2º tempo garantindo a vitória por 1x0, mas a partida que ficou marcada na história mais que esta foi a anterior, a Desportiva enfrentou Rio Branco e não tomou conhecimento, com apenas 10 minutos de bola rolando Londrina abre o placar para a locomotiva grená após jogada de Paulistinha, aos 27 Ivanildo que foi criado na base da Desportiva empatou, a safra era tão boa nesse período que vários jogadores da base grená faziam parte e se destacavam em muitos dos  nossos adversários, mas nenhum deles se chamava Geovani, para azar do Rio Branco ele estava com tudo nessa partida, aos 35 ele simplesmente destruiu a zaga adversária driblando os zagueiros antes de tocar pra quem? Londrina que marcava seu 3º gol em duas partidas contra o Rio Branco. No 2º tempo o show de Geovani não parou, aos 07 minutos ele faz oura bela jogada e dá passe para Lauro marcar 3x1, aos 23 foi a vez dele Geovani, com sua habilidade de gente grande e seu ímpeto de garoto passo por Adalberto Lopes muito experiente no alto de seus 26 anos como quis e marcou o 4º gol da Tiva, fim de papo Tiva 4x1 e título praticamente conquistado.


Em 1981 a busca pelo primeiro tri consecutivo se deu sem Beto Pretti e Geovani que após a excursão para Ásia foi para o Vasco. Na primeiras 5 rodadas vencemos apenas o América de Linhares(5x1), foram 4 empates que custaram o cargo de Yustrish, mas eles antes de sair falou para Elci Rodrigues "Você vai ser o treinador, não vou contratar ninguém de fora", a estreia do zagueiro ídolo grená foi ótima, 2x1 sobre Ordem e Progresso em Bom Jesus do Norte. Mas na final da 1ª fase acabamos perdendo para o Colatina, nada que abalasse, seguimos em frente e contra o Rio Branco na final da 2ª fase conquistamos o título e com isso a vaga na final.

Veio o Colatina após cada equipe vencer uma partida veio a 3ª partida de desempate, por ter a melhor campanha a Desportiva jogava pelo empate, e conseguiu, com placar de 0x0 a Desportiva era DesporTRIva pela primeira vez na sua história. Foram 35 partidas, vencendo 15, empatando 14, perdendo 06, marcando  39 gols, sofrendo 23 gols, tendo Naldo como artilheiro da Desportiva no campeonato com 11 gols, atrás apenas de Jorge Lima do Ordem e Progresso que marcou 14, Elci Rodrigues fazia história pois se tornava campeão capixaba tanto jogador como treinador com a camisa grená.


O ano 1984 para a Desportiva teve uma caminhada difícil para título, foram 30 partidas, 03 fases e 01 quadrangular, um jejum de 10 partidas sem vencer, os dois maiores rivais bem preparados, temporal e guerra com o cronômetro, teve de tudo, e para piorar desde julho de 1982 a CVRD dava apenas uma ajuda de custo graças a um decreto do Governo Federal que congelava essa ajuda e correções, de 800,000,00 chegou ser apenas 800,00 em 1987 por exemplo. Mesmo com tudo isso no caminho vencemos a 1ª fase, após empate em 0x0 o Araripe a Tiva derrotou Rio Branco no Kleber Andrade gol de Naldo aos 32 do 1º tempo, o título da fase nos garantia de forma antecipada no quadrangular final.  O time não se acomodou e mesmo garantido na fase final ainda foi vice da 2ª fase., já na 3ª fase as coisas desandaram e a locomotiva grená saiu dos trilhos, ficou 10 rodadas sem vencer, Laone caiu e nossa única saída era apostar em uma receita de sucesso, Beto Pretti reassume a Tiva, já pelo quadrangular a derrota por 1x0 para o Vitória seria a 10 sem vencer, mas foi o divisor de águas, na partida seguinte Paulistinha aos 04, Tiziu aos 37 e Edu aos 43 do 1º tempo. Tião aos 35 do 2º tempo tiraram a "inhaca" de 76 dias sem vencer, Tiva 4x0 no Colatina, mas na partida seguinte 0x0 com Rio Branco que era treinado justamente por Laone, abrindo returno Tiva 2x0 Vitória com Tião metendo dois gols, essa vitória foi extremamente importante pois em caso de derrota ficaríamos 04 pontos atrás deles. Na penúltima rodada novo 2x0 agora sobre Colatina fora Jacimar 2 vezes nos deixavam líderes necessitando apenas de nosso resultado para conquistar a taça, chega então a última rodada Desportiva x Rio Branco de Laone que dizia conhecer todos segredos da Desportiva. Naquelas coisas fantásticas que o futebol proporciona Serjão faz 1x0 Desportiva com 08 minutos do segundo tempo, ele que era tido como entregador de jogos, e havia recebido enquadro de Beto Pretti ameaçando ele até de cadeia Henrique Mayer Policial Federal a diretoria caso acontecesse algo suspeito, Naldo aos 30 mete a segunda bola na rede e o Engenheiro Araripe explode 2x0 Tiva e Beto Pretti marca para sempre seu nome na história grená se tornando o treinador maior campeão capixaba pela Tiva. Foram 30 partidas, 13 vitórias, 12 empates, 05 derrotas, 28 gols marcados só 12 sofridos terminando 16 saldo.


Em 1986 Olegário Tolói de Oliveira mais conhecido por Dudu, ex-volante de Palmeiras onde conquistou 9 títulos como jogador na chama Academia de Futebol além de 1 paulista como treinador, era o encarregado de comandar a locomotiva no estadual, mais uma vez estadual contava com duas fases e o quadrangular final. A Tiva começou arrasadora sua participação em 07 partidas venceu 05 e empatou 02 partidas e conquistou o turno e já garantiu vaga na fase final. Mesmo com a vaga garantida a Desportiva seguiu jogando bom futebol foi perder apenas na sua 15ª partida, esta que ficou marcada por dois acontecimentos, o primeiro positivo a estreia do craque Enéas ex Portuguesa e seleção brasileira, o segundo, é o fato negativo, a partida valia o título do returno no Davino Matos em Guarapari, em caso de vitória grená o estadual se encerraria ali mesmo com título invicto da Tiva, em caso de vitória dos mandantes haveria quadrangular final. Já havia acontecido uma confusão generalizada entre os jogadores que só inflamaram mais os ânimos, ao fim da partida o Guarapari venceu por 1x0 conquistou o turno e a torcida local inflamada invade o campo arremessa paus e pedras na torcida grená, uma parte do muro do estádio cai ferindo várias pessoas, tem policial sacando arma, ônibus grená apedrejado, polícia escoltando torcedores para fora da cidade, um tumulto total, um péssimo cartão de visitas para Enéas, a partida ficou conhecida como "A batalha do Davino Matos".

Passado isso vem o Quadrangular com Tiva, R. Branco, Guarapari e Estrela do Norte,  e o que se vê é a Desportiva não dando chance pra ninguém, mesmo com Jacimar jogador grená recebendo pedrada dentro de campo fora latas, garrafas e até atiradas dentro de campo, nada disso importou e Enéas foi as redes duas vezes e deu a vitória por 2x1 a Tiva, o reencontro com Guarapari desta vez no Araripe foi mais ameno, mesmo dominante a Desportiva não venceu 0x0 no placar. Na rodada seguinte o cala a boca de Enéas, o presidente do Rio Branco disse que Enéas estava bichado, que era um Leão ferido e não trazia risco nenhum, pois bem aos 45 do 1º tempo começou o cala a boca, Enéas faz 1x0, na 2ª etapa aos 23 e aos 29 marca mais dois a Desportiva goleia e Enéas sai com famoso Hat Trick logo no maior clássico do estado, na rodada seguinte novamente a Desportiva enfrenta o Guarapari fora de casa podendo conquistar o título estadual, mas a história praticamente se repete, Guarapari vence por 1x0 e acontece novamente uma confusão generalizada, desta vez a torcida grená foi pronta pra briga e o pau quebrou em torno do estádio, teve batalha campal com paus e pedras e muitos ônibus apedrejados de ambos os lados,  de volta ao que importa o futebol, a Desportiva dependia apenas de sí pra levar a taça, era a 4ª partida contra o Rio Branco depois da final de 85, e pela quarta vez  o lado grená era quem comemorava, Enéas marca mais duas vezes chegando a incrível marca de 5 gols e 2 jogos contra o rival, a Desportiva vence por 2x1 e leva a taça pra casa de quebra comemora título dentro do Kleber Andrade local da partida. Foram 21 jogos, 13 vitória 06 empates 02 derrotas,  33 gols pró, 11 gols contra saldo de 22.


Em 1989 spoiler é que Marcos Nunes escreve seu nome na história grená, ele repete Elci Rodrigues e conquista e passa ser campeão estadual como jogador e como treinador. 

Um regulamento um pouco peculiar fez o estadual de 89 "não ter mais empates" até o quadrangular final, ao final das partidas empatadas a decisão seria nos penais, a Desportiva disputou pênaltes 06 vezes ao todo , 03 vitórias e 03 derrotas. Esta equipe para chegar ao título disputou 24 partidas vencendo 13 partidas, empatando outras 08 e perdendo apenas  03, marcando 31, sofrendo 19 sendo 12 de saldo. Após uma derrota surpreendente por 1x0 para o Santo Antônio que infelizmente já caminhava para extinção vieram 05 vitórias seguidas, 3x1 no Ordem e Progresso em casa,  Colatina 1x2 fora, em casa  1x0 Castelo e goleada de  3x0 no Vitória, e 2x1 no Ibiraçu fora. Apenas na 7ª partida o primeiro empate, após 1x1 com Guarapari fora Tiva venceu por 5x4. No returno foram 05 empates em 09 jogos, e vaga no quadrangular final contra Estrela, Colatina e Rio Branco, a primeira partida Júlio César marcou 3 vezes na vitória por 3x2 sobre Estrela, 0x0 com Colatina, 1x1 com Ordem e Progresso fechando o turno, já pelo returno mesmo vencendo o Estrela no Sumaré por 1x0 o estadual poderia mais uma vez ir para o interior, a Desportiva chegava com 06 pontos contra 07 do Colatina, em caso de derrota o estadual acabaria ali mesmo faltando uma rodada , o Justiniano de Melo e Silva  estava lotado, torcida pressionando mas a Desportiva jogou com inteligência e a pressão acabou mudando de lado, quando Wellington fez 1x0 Tiva aos 17 o Colatina se perdeu e a Desportiva passou a controlar o jogo tanto que aos 40Paulo Henrique fez 2x0 ainda na 1ª etapa para desespero dos colatinenses, Colatina até descontou aos 26 do 2º tempo mas ficou nisso, vitória grená e chuva de bandeiras no Rio Doce, a torcida do Colatina revoltada arremessou elas no rio que fica próximo do estádio, afinal eles sabiam que a Desportiva embalada contra o Ordem e Progresso no Araripe era vitória quase certa. Esta partida final era impossível não lembrar de 1988,  o final traumático do estadual quando perdemos o título a última rodada quando tínhamos a vantagem, mas com nossa derrota e vitória do Ibiraçu, foram eles que acabaram campeões, isso fez a gente entrar mais focados na partida, Wellington e Eliésio trataram de marcar 2x0 Tiva e nos confirmar o título de 1989.


Em 1992 a Desportiva vinha de um acesso inédito para Série A do Brasileiro que colocava a equipe como grande favorita ao título daquele estadual, ainda contava com uma dupla de craques Washington e Andrade, sem contar Welder, China, Morelato, Silvério entre tantos outros, a verdade era que a Tiva tinha craques nas 11 posições, isso fazia com que a locomotiva grená entrasse com aura de grandeza, e provou no campo, foram 17 vitórias, 04 empates e apenas ,03 derrotas, marcando 38 gols sofrendo apenas 14 em 24 partidas disputadas. 

Já primeira fase a equipe sobrou, venceu 12 partidas das 18 partidas terminando líder da fase. Nas quartas de final enfrentou o Castelo, depois do 0x0 no Emilio Nemer a Tiva venceu por 3x2 no Araripe gols de China, Gérson e Washington. Nas semi finais veio o Alfredo Chaves a primeira equipe fundado no Espírito Santo em 1910, mas a Desportiva não respeitava os mais velhos mesmo, já havia enfiado 5x0 no Vitória, a Desportiva venceu tanto a ida quanto a volta, 1x0 no Estádio Carlos Soares Pinto em Alfredo Chaves e goleada na volta por 3x0 gols de Andrade, Gérson e Welder.

Chega a grande final, nela um adversário surpreendente, o Comercial de Muqui fundado no ano do nosso último título estadual em 89, era uma equipe nova mas com ascensão meteórica, bicampeã Sulina 1989 e 90, mas pro azar deles uma das equipes mais fortes da história do estado.    

No Estádio Municipal João Vieira Fraga em Muqui na partida de ida o Comercial dificultou bastante, começou com Marcão abrindo placar para os mandantes, passou um filme na cabeça do grená, afinal Marcos Magalhães era o treinador do adversário, ele que em 91 foi campeão no Muniz Freire evitando nosso título, mas  em escanteio pelo lado esquerdo de ataque, Gerson cobra no 1º pau e encontra a cabeça de Welder que empata aos 13 da 2ª etapa. A virada veio novamente com Welder de cabeça, após passe de Washington de cabeça aos 39 minutos em cobrança de falta de Joãozinho  pouco antes do meio campo fazia 2x1 Tiva de virada nos deixando muito perto de mais um título estadual.

Na volta as coisas se tornaram ainda mais tranquilas quando com apernas  5 minutos de partida China faz grande jogada após passe de Gerson dando um drible da vaca no adversário pela ponta e manda para Washington de cabeça anotar o primeiro, Washington matador nato deixa seu na grande final e se tornava artilheiro do estadual ao lado de Marcelo Cabeção(Linhares EC), Cássio(Muniz Freire), Sérgio Cogo(Vitória) e Valério (Alfredo Chaves) todos com 9 gols. Ainda na 1ª etapa Welder marcaria o seu 3º gol na final, 2x0 Tiva em jogada de Washington aos 34 minutos de partida. Já no segundo tempo com o grito de campeão ecoando pelo Engº Araripe Edson Garcia marca o 3º aos 17 minutos, em contra ataque rápido em que China roubou a bola tocou para Welder que mandou para Washington e mostrou que não era fominha e na cara do gol tocou de lado para a Tiva fechar de vez o caixão, agora era só esperar o apito final! que nada , antes do apito final teve torcedor invadindo o campo, a partidas recomeçou mas pouco tempo depois foi encerrada!!! Desportiva Ferroviária campeão capixaba de 1992! Andrade venceria seu 33º campeonato como jogador profissional e a Desportiva vencia seu 13º estadual em um dia 13 para 13 mil expectadores verem.



Dois anos depois a Tiva retorna ao topo no estadual, o ano de 1994 foi inesquecível para todos nós que o vivemos o tetra campeonato mundial do Brasil frente a Itália com o comando de Romário, Bebeto, Taffarel e Cia, mas não foi só alegria, teve também a triste  morte do nosso grande ídolo Ayrton Senna naquele fatídico 1º de Maio. Para os torcedores da  Desportiva Ferroviária foi um ano inesquecível, pois venceu mais um estadual e de forma antecipada, aquela equipe que contava com Arnaldo Traspadini campeão em 1989 no banco comandando a equipe e um elenco muito forte que contava com nomes como Silvério, Morelato, Agnaldo, Dirley, Alex Santana, Jean Carlos e Mário Matador era uma seleTIVA. 

Logo de cara o torcedor grená viu que as coisas iriam muito bem, derrotou Rio Branco por 1x0 logo de cara, derrotou Estrela em Cachoeiro por 3x1, 1x0 no Comercial de Alegre e 2x0 no Colatina, após 1 empate e uma derrota nas rodadas seguintes a nossa Tiva ficou 14 partidas sem derrotas, e no campeonato que foi disputado em pontos corridos isso fez uma enorme diferença no final, foram 8 vitórias em 14 partidas, vale destacar as vitórias por 3x0 sobre Castelo, Rio Branco de Venda Nova e Aracruz,  4x0 no Rio Pardo e os 4x1 no Alfredo Chaves  com show de Mario Matador que anotou os 4 gols, além dos 2x0 sobre Vitória em mais um clássico pela penúltima rodada.

No returno a Desportiva seguiu na pegada e só voltou a perder uma única vez, era uma equipe imbatível, nas 30 partidas disputadas foram 18 vitórias, 10 empates e apenas duas derrotas, 47 gols marcados contra 17 sofridos, Mario Matador foi artilheiro da equipe com 17 gols. A locomotiva chegava contra Rio Branco podendo dar a volta olímpica em pleno Kleber Andrade, e foi justamente o que aconteceu, após empate em zero a zero a Desportiva comemorava mais um título estadual contra seu maior rival dentro de sua casa, quando eles ainda tinham uma. 


Em 1996 novamente tivemos um ex atleta campeão, Cosme Eduardo a exemplo de Arnaldo Traspadini foi campeão dentro e fora de campo. Este estadual colocava os dois maiores campeões dos anos 90 finalmente decidindo título frente a frente, de um lado a Desportiva campeã em 92, 94 e 96, o Linhares campeão em 93, 95, 97 e 98. A campanha campeão um total de 23 partidas, 15 vitórias 05 empates  03 derrotas, 38 gols marcados  e 16 sofridos um saldo de 22 gols de saldo positivo além de Agnaldo e Éder como artilheiros do capixaba com 6 gols cada. O começo foi uma gangorra, após golear o São Mateus por 3x0 e devolver o placar que sofreu para o rival no ano anterior a Desportiva acabou sofrendo uma goleada de 4x0 justamente para o Linhares que agora assumia o favoritismo, mas esta goleada foi apagada 14 dias depois após a Tiva atropelar o Rio Branco por 4x0 afogando todas as mágoas, após 10 partidas Desportiva e Linhares se enfrentaram em partida extra para conhecer o campeão da Chave, mesmo jogado em Linhares a Tiva foi um time operário e venceu por 1x0 naquele 1º de maio conquistando a fase e se garantindo no quadrangular final. Mesmo já classificada a Tiva não tirou pé do acelerador,  venceu 5 das 6 partidas, destaque para os 3x0 no Rio Pardo e Mimosense além dos 5x1 no Comercial em Alegre.
No quadrangular final a derrota por 1x0 no Rio Pardo não estava nos planos, mas quando aplicou 3x1 no Alfredo Chaves , após voltar com 1x1 contra Linhares fora fechando o turno, as duas equipes encerravam o turno com 5 pontos, isso graças aquele vitória grená na partida extra que valeu este ponto, a liderança era grená no saldo de gols(4x3). No returno a vitória sobre Rio Pardo por 2x1 nos deu a liderança isolada já que o Linhares ficou apenas no empate em 2x2 com Alfredo Chaves, na penúltima rodada  enquanto Linhares goleava o Rio Pardo a Tiva voltava com uma importante vitória em Alfredo Chaves por 2x0, na última rodada finalmente os maiores dos anos 90 no Espírito Santo decidiram um título diretamente pela primeira única vez na história. A Tiva jogava pelo empate, e quando Alex Santana cruzou na cabeça de Agnaldo que marcou de cabeça aos 30 minutos do 1º tempo o Araripe lotado ficava ainda mais confiante no título, o Linhares agora precisava virar mas só conseguiu no máximo empate e ainda com gol contra aos 32 do 2º tempo, fim de papo 1x1 e Tiva campeã estadual de 1996. 



Em 2000 um título diferente, a Desportiva já havia entrado na era de Clube Empresa e disputava coma alcunha de Desportiva Capixaba, este título teve um gosto diferente não só pelas cores, escudo e uniforme que eram diferentes, mas também pela montanha russa que o grená viveu, depois de um turno muito aquém do esperado, depois de 3 vitórias seguidas  ficou 6 partidas sem vencer ficando apenas na 7ª colocação a dois pontos da zona de classificação e não avançando para semi final do turno, o torcedor se viu com uma situação delicadíssima para avançar, eram 3 rodadas onde éramos obrigados a vencer todas e ainda contar com uma combinação de resultados, mas uma coisa este estadual mostrou, Desportiva é sempre Desportiva e não se pode nunca duvidar da locomotiva de Jardim América, derrotamos o Nacional em Itaguaçu por 2x0, goleamos o Santa Maria no Araripe por 5x1 e chegamos na última rodada contra o Rio Branco no Kleber Andrade,  além de ser obrigados a vencer pois um empate custaria a classificação, mas a Tiva não sentiu a pressão, derrotou Rio Branco por 2x1 e avançou para semifinais do returno. Ali entra um fato muito curioso, Estrela que foi vilão após avança graças a melhor campanha depois do 0x0 no Sumaré acabou ajudando a classificar a Tiva para as semifinais, como conquistou  o título do returno contra o Riachuelo tirou a classificação do rival e nos classificou graças ao 4º lugar na classificação geral. Na semi final a Tiva venceu a partida de ida no Araripe e segurou 2x2 na volta no Sumaré, como tinha melhor campanha Estrela tinha mais uma chance em casa, mas novamente a Tiva segurou 2x2 e classificou pata final contra o Serra.

Na final enredo semelhante, a Desportiva derrotou o Serra em casa por 1x0 e ficou no 2x2 no Robertão, a diferença foi que na 3ª partida a Desportiva "passou carro" no Serra, goleou por 3x0 e levantou mais uma taça, Marcos Nunes mais uma vez marcava seu nome na história grená, ele junto com Beto Pretti passava a ter mais de uma uma conquista estadual, no caso dele 1989 e 2000.


Após um longo hiato o grená voltaria celebrar maus uma taça estadual, em 2011 a Ferroviária retorna e já conquista vice da Copa ES logo de cara mesmo cheia de dificuldades, em 2012 vem asa taças da Série B e o Bicampeonato da Copa ES novamente contra o maior rival, com planejamento a longo prazo  com ótimo elenco nas mãos de Mauro Soares a Tiva entrava com franca favorita junto ao Aracruz que era campeão de 2011, e foi justamente o que aconteceu, Desportiva e Aracruz foram os finalistas, mas antes disso Paulo Marcos havia entrado no lugar de Mauro Soares que acabou desgastado após a  a queda de rendimento da equipe e a perda da vaga na Série D. A vaga na final foi com muita emoção, após não ter matado jogo na ida contra o Conilon onde poderia ter goleado mas voltou com um amargo empate em 1x1 sofreu 2x0 com apenas 19 minutos de jogo no 1º tempo dentro do Araripe, motivos que fariam o torcedor se revoltar, mas não foi o que aconteceu, não me esqueço da torcida grená apoiando o time da descida para o vestiário, eu na arquibancada fala com minha namorada, vamos virar esse jogo, vai ser um gol antes dos 10, outro antes dos 20, com a massa grená sendo combustível Evandro com apenas 1 minutos de bola rolando e Ronis contra aos 17 transformaram minha profecia em realidade, David ainda virou no fim para sacramentar a vaga. Na ida da final contra o Aracruz não foi como esperado, sofremos gol logo aos 21 do 1º tempo, apenas empatamos dentro do Araripe e isso graças a um golaço de Helder aos 35 do 2º tempo, o Aracruz foi melhor e isso preocupava para a volta, ainda mais com a arbitragem que deixou Aracruz bater bastante, foram mais de 40 faltas no Araripe.

No estádio Bambu a torcida do rival não cabia dentro de sí, estava com ego inflado, baixaram a bola quando Leo Oliveira com 02 do 2º tempo fez 1x0 Tiva, eles só voltariam a partida aos 19 quando Regílson empatou, não esqueço de Felipe fazendo uma defesaça mas a defesa não acompanhando a jogada e sofrendo o gol, mas sabe como é, ser grená e acreditar até o último segundo, e a equipe que havia conquistado uma Série B e uma classificação para final após os 45 do 2º tempo sempre dava certeza de lutar até o fim, e não foi diferente desta vez, eram quase 45 do 2º tempo Anderson Sorriso pega bola na entrada da área bate no ângulo e dá o título estadual de 2013 para a Desportiva!



Em 2016 no 100º Campeonato Capixaba algo semelhante com o título de 2013, começo muito bom, mas uma queda de rendimento na fase final e troca de treinadores, Erick Bomfim teve um começo fantástico, na pré temporada derrotou seleção de Marataízes por 8x0, 2x1 no Real Noroeste e a partida que mais foi falada,  2x1 sobre o Botafogo/RJ no Kleber Andrade, já no estadual na Chave Sul passamos invictos vencendo 5 das 8 partidas, no Hexagonal que as coisas desandaram, depois de derrotar Linhares(2x0), empatar com Atlético Itapemirim(1x1) e derrotar o Rio Branco(1x0) a Tiva "parou" nos trilhos, perdeu para Espírito Santo(2x1), Real Noroeste(1x0) e Linhares(1x0), foi a gota d`água para diretoria que trocou Erick Bomfim por Fabiano Rossato que era gerente de futebol mas sempre flertava com comando técnico, nas partidas seguintes a equipe acordou, aplicou 3x1 no Atlético Itapemirim e na rodada seguinte o atropelo que fez a torcida esquecer a troca no comando técnico que havia desagradado grande parte dela, a torcida do Rio Branco ainda entrava nas dependências do Engenheiro Araripe e a Desportiva já vencia por 2x0, gols de Alexandre Hanz contra aos 02, David aos 06, após ficar 4 partidas sem vencer a Tiva vingou tudo na mesma partida, goleou por 4x1, eliminou o rival e entrou no G2. Na partida seguinte poderia vir a classificação antecipada, mas acabou ficando para última rodada depois do 1x1 com Espírito Santo, a vitória contra Real Noroeste valia vaga na final igual foi em 2015, logo aos 06 abrimos o placar com Rael, 1x0 ficou de graça pois 3x0 seria mais justo na primeira etapa, no retorno do intervalo nosso time deu pane, durante 15 minutos o adversário jogou tudo que não havia jogado no 1º tempo, aí brilhou a estrela de Rossato que ao colocar Sidnei ganhamos o meio campo novamente e Jefferson Fernandes de pênalti aos 20 e sacramentou a nossa vaga na final.

Outra semelhança com 2013 era um time pequeno que se achava grande por passar por uma boa fase, Espírito Santo vinha com uma torcida gourmet comprada cheia de soberba, na partida de ida Ramires aos 28 do 2º tempo marcou gol da vitória grená que teve um sabor especial por ele não ter sido aproveitado pelo rival.

Na partida de volta jogando pelo empate a Tiva não se arriscava muito e usava o regulamento a seu favor de forma inteligente, sem covardia ou cai cai, só ia na boa como diz aquele ditado do futebol, mesmo perdendo Vandinho cão de guarda do nosso meio nos últimos 15 minutos após expulsão chegamos ao gol da vitória e do título na cobrança de pênalti de Edinho aos 39 minutos, Desportiva campeã do 100º estadual!




Adeildo Pereira de Lima  Pernambuco

Wilsson Vassalo Faé campeão 1965 estadual

Paulo Emílio campeão 1967 estadual invicto

Beto Pretti campeão 1972

Délcio Leal campeão 1974

Nelsinho Rosa campeão 1977

Alfredo Abraão campeão 1979

Beto Pretti campeão 1980

Elci Rodrigues campeão 1981

Beto Pretti campeão 1984

Olegário Tolói de Oliveira(Dudu) campeão 1986

Marcos Nunes campeão 1989

Jaime de Almeida campeão 1992

Arnaldo Traspasdini campeão 1994

Cosme Eduardo campeão 1996

Marcos Nunes campeão 2000

Paulo Marcos campeão 2013

Adriano Fabiano Rossato campeão 2016


Desportiva Ferroviária Blog - YouTube

Associação Desportiva Ferroviária/Blog (1)