Translate

18 de julho de 2013

Desportiva no brasileiro série B 1991

Primeiro semestre de 1991  a Desportiva foi rumo a sua 5ª participação na segunda divisão do brasileiro, brasileiro este que havia mudado muito em relação aos anos anteriores um exemplo disso era a quantidade de equipes 64 dividas em grupos de 8 onde 1º e 2º colocados passavam para  o mata mata das oitavas de final, lembrando que estas mudanças começaram com o fim dos anos 80 inclusive em 1990 a Desportiva "se deu" ao luxo de não disputar a 1ª divisão com seu presidente Delson Régis afirmando que o torneio não traria nada de atrativo para a equipe capixaba onde 20 equipes foram divididas em 2 grupos de 10 onde o Grupo A enfrentava o B e depois jogaria contra as equipes do próprio grupo  todos em turno único, para ele, seria um fórmula pouco atrativa e deficitária disputá-la. Voltando  a série B de 91 a Desportiva foi colocada no grupo 4 com equipes do Rio de Janeiro...América, Americano e Itaperuna, Confiança- SE, Catuense e Fluminense  ambos   baianos, além  do capixaba Colatina.
A forma de disputa era todos contra todos dentro do grupo em partidas de ida e volta. 
No elenco grená nomes conhecidos do torcedor tais como Welder atacante infernal, Dirley, Adilson, Silvério xerifão grená, Jorginho,Arildo Peçanha, Dedé, Morelato e Mauro Soares, todos jogadores de habilidade que sabiam muito bem oque fazer com a bola dentro das 4 linhas, todos comandados por Arnaldo Traspadini.

A estréia foi 27 de Janeiro contra o Fluminenses de Feira de Santana no estádio Araripe começando com o pé direito vencendo por 2x0, era a primeira vez que o time baiano voltava ao Espírito Santo para enfrentar a Desportiva desde 1977 após a vergonhosa tentativa de ajudar o Vitória-BA a se classificar  com jogadores baianos causando tumulto sendo expulsos e fingindo lesões para a partida acaba empatada placar de beneficiaria o Vitória fazendo com que  a Desportiva não conseguisse  a vaga para a segunda fase do brasileiro, a partida foi encerrada antes dos 20 minutos do 1º tempo pois o adversário possuía menos de 7 jogadores em campo, impossibilitando a continuação da partida, não reconhecendo o placar em 0x0 desta partida mais tarde a CBD atual CBF remarcou uma partida entre Desportiva x Vitória-BA em campo neutro  porém o time baiano que havia sido derrotado por duas vezes para a Desportiva, por 1x0 em Salvador e por 3x1 em Cariacica negou-se a enfrentar a Tiva correndo o risco de passar mais vergonha ainda, com isso a vaga veio para a equipe merecedora, a Desportiva.


Na 2ª e 3ª partidas, mais uma vez dentro de casa nova vitória, 1x0 sobre Itaperuna e  Americano-RJ, éramos o único 100% e pode ter sido isso que fez a Tiva "cair" do cavalo quando enfrentamos o América no RJ, fomos goleados por 3x0 a volta para casa não foi nada boa.


Pela 5ª rodada nova partida fora de casa, mas nem tanto assim afinal seria em Colatina município do interior do Espírito Santo onde tanto adversários quanto estádio já eram velhos conhecidos grenás,  eram os últimos 2 campeões estaduais a Desportiva em 1989 campeã com o Colatina sendo vice campeão e Colatina campeão de 1990 com a Desportiva em 3º lugar, pois bem a partida a Tiva não deu bola para os donos da casa e venceram por 2x1 voltando ao caminho das vitórias e tranquilidade,o placar de 2x1 para a locomotiva grená voltou a se repetir desta vez dentro de casa contra a Catuense-BA na 6ª partida.


Na 7ª partida a viajem mais longa da chave até Sergipe para enfrentar o Confiança,e Tiva foi confiante para a partida e voltou com um empate em 1x1 visto com muitos bons olhos pelo elenco e sua torcida,era o 4º empate do Confiança em sua 4ª partida dentro de casa por duas vezes um 0x0 e duas vezes 1x1.


Nas partidas seguintes empate em 2x2 com o Fluminense-BA e 1x1 contra o Itaperuna-RJ ambos fora de casa deixaram a Tiva em situação bem comoda em relação a classificação para a 2ª fase


Novamente contra o Colatina desta vez dentro de casa uma goleada 3x0 para a Tiva essa vitória colocou a Tiva com enormes possibilidades de alcançar a vaga antecipada para as oitavas de final, mas oque deveria ser uma solução se transformou em grandes  problemas pois nas duas partidas seguintes incompreensívelmente a locomotiva desandou vertiginosamente e saiu feio dos trilhos, muito feio sendo derrotada por 5x1 para a Catuense na Bahia e mais incrível ainda por 4x1 para o Confiança em pleno Engenheiro Araripe. Se a duas rodadas atrás a Desportiva era líder 2 pontos a frente do Americano 2º  e 5 a frente do 3º Catuense agora faltando duas rodadas para o fim da 1ª fase a Tiva estava 2 pontos atrás do líder Americano e apenas 3 da Catuense, não se sabe ao certo oque aconteceu para uma queda tão grande, dizem que além de desfalques o espírito da já ganhou veio muito forte nestas duas partidas.


Após o choque de realidade onde  a Desportiva  passou de uma zona de comodidade  para uma zona de risco, enfrentando o América-RJ dentro do Araripe a obrigação de vitória era evidente ainda mais com os dois ultimos enormes fracassos, por sorte a equipe colocou a cabeça no lugar os jogadores voltaram a jogar bola e desta vez sem o "oba oba"  venceram o América por 2x1 garantindo assim a vaga com uma rodada de antecedência deixando ainda mais forte para a torcida e imprensa que o clima de oba oba da liderança e classificação antecipada atrapalharam e muito o rendimento dentro de campo. Na partida seguinte Desportiva foi até Campos interior do Rio encarar o líder e também já classificado Americano,com as duas equipes cumprindo tabela  a Tiva triunfou e voltou com a vitória por 2x1 na bagagem.


A Desportiva passava de fase para nas Oitavas enfrentar o Santa Cruz-PE que só havia conhecido o sabor da derrota apenas 1 única vez nesta série B em derrota para o CSA em Alagoas e pelo placar mínimo de 1x0...Na 1ª fase os pernambucanos venceram 8 empataram 5 perderam apenas uma, sendo que em 7 partidas em casa marcou 15 gols sofreu apenas 2 e venceu 6 vezes e empatou uma,  já na ultima rodada quando já estava classificada, e aplicou um sonoro 6x0 no CRB, ou seja sintoma de enorme dificuldade para a Desportiva quando pisasse no campo adversário.


A partida de ida aconteceu no Engenheiro Araripe aconteceu 21 de Abril, como já foi dito era esperado de que a partida em PE fosse difícil, mas começou a dificuldade ainda em solo capixaba pois a Desportiva acabou derrotada por 3x2 dentro da casa obrigando a derrotar o Santa Cruz em Pernambuco por 2 gols de diferença, missão quase impossível naquele momento afinal para um time embalado dentro de casa com a torcida lotando as dependências do estádio Arruda  sabemos que fica difícil, ainda mais por que a Tiva viajava pouco confiante e o resultado foi visto dentro de campo a Desportiva não conseguiu fazer frente a pressão pernambucana oque se viu dentro de campo foi um santa Cruz solto indo pra cima e uma Desportiva pressionada sem confiança, o placar se mostrou nos 4x0 que o time rival aplicou garantindo vaga nas quartas de final, que por ironia do destino enfrentar o Americano de Campos que a Desportiva havia vencido as duas partidas contra eles, e acabou sendo eliminado pelos cariocas...coisas do  tão surpreendente e amado futebol.

A campanha que em alguns momentos empolgou ficou evidente que para o estadual de 1992 a equipe era candidatíssima ao título porém para a série B do brasileiro precisaria de várias peças para ter sucesso, e justamente isto aconteceu tanto que a Tiva sagro-se campeã capixaba e alcançou vaga na série A do brasileiro a ultima de um time capixaba.

A campanha

Desportiva  2x0 Fluminense/BA
Desportiva  1x0 Itaperuna
Desportiva  1x0 Americano/RJ
América/RJ 3x0 Desportiva 
Colatina 1x2 Desportiva 
Desportiva  2x1 Catuense
Confiança 1x1 Desportiva 
Fluminense/BA 2x2 Desportiva 
Itaperuna 1x1 Desportiva 
Desportiva  3x0 Colatina
Catuense 5x1 Desportiva 
Desportiva  1x4 Confiança
Desportiva  2x1 América/RJ
Americano/RJ 1x2 Desportiva 
Desportiva  2x3 Santa Cruz
Santa Cruz 4x0 Desportiva  

Dentre as 64 equipes a Desportiva ficou na 14ª posição

com 19 pontos em 16 partidas
8 vitórias
3 empates
5 derrotas
23 gols a favor
27 gols contra





Alguns jogadores do elenco de 1991






Mauro Soares durante sua passagem como treinador grená